top of page

A importância e os desafios da captação de recursos para o terceiro setor

As Organizações da Sociedade Civil – OSC, também conhecidas como ONGs, são classificadas como entidades que não têm fins lucrativos e realizam diversos tipos de ações solidárias para públicos específicos. Elas podem atuar nas áreas da saúde, educação, assistência social, economia, meio ambiente, defesa de minorias, e religião entre outras, em âmbito local, estadual, nacional e até internacional. Uma OSC é enquadrada na Lei nº 13.019/2014, conhecida como Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil (MROSC), é a principal legislação que define as OSC no Brasil.

As entidades da sociedade civil (organizações da iniciativa privada, sem fins lucrativos e que prestam serviços de caráter público) fazem parte do terceiro setor, no qual se enquadram as associações, as cooperativas, as fundações, os institutos etc.

As gestão das organizações do terceiro setor do Brasil necessitam de inclusão de práticas administrativas. Para cada tipo de entidade, existe uma forma de inserir essas práticas. Isso se justifica pelo fato das organizações do terceiro setor se iniciarem, em muitos casos, dentro de organizações religiosas ou mesmo por meio da reunião de pessoas voluntárias, com iniciativa, em busca de desenvolver um trabalho social. Desta forma, observa-se pessoas dispostas, porém sem as devidas qualificações para exercerem função de gestão.

As organizações do terceiro setor devem se estruturar com respeito à legislação específica para o setor de atividade. Isso significa que, para receber recursos, isenções e incentivos fiscais, dentre outros benefícios, os órgãos reguladores precisam reconhecer as atividades desenvolvidas, registrando a organização conforme sua expertise.

Como o terceiro setor trabalha, também, com a linha de voluntariado e com a premissa básica de não obter lucros, as dificuldades na gestão dessas organizações estão em discussão constante, pois nem sempre as doações de benfeitores, pessoas físicas e jurídicas, ou mesmo a ajuda dos próprios colaboradores, são suficientes para manter o bom funcionamento das organizações e de seus projetos.

Dessa forma, destaca-se a importância de criar-se plano eficaz de captação de recursos, que seja capaz de cobrir as necessidades da organização, bem como proporcionar os resultados esperados. Constata-se que são várias as entidades que não possuem um plano de captação de recursos bem definido, por meio de seus projetos sociais.

Saber escolher a fonte certa de captação de recursos, em momentos propícios, elimina potenciais problemas, afinal, nenhuma organização, seja ela do terceiro setor ou não, sobrevivem sem a disponibilização de recursos, em especial os financeiros.

Dessa forma vemos a importância das estratégias de captação de recursos, para as organizações do terceiro setor, como ferramenta de gestão sendo necessário identificar ferramentas de captação de recursos de modo que as organizações sem fins lucrativos satisfaçam suas necessidades (de recursos). É interessante frisar que cada organização do terceiro setor possui uma particularidade diferente, porte diferente e gestão, para desenvolver seu plano ou projeto de captação de recursos.

A captação de recursos no terceiro setor é a forma organizada pela qual instituições do terceiro setor buscam por doações de pessoas e empresas. Estas contribuições voluntárias podem ser tanto em dinheiro ou em forma de recursos que a organização necessita e são destinadas à manutenção e existência destas instituições.

Captar recursos está diretamente relacionado ao sucesso de bem administrar a organização, inclusive do ponto de vista da boa gestão financeira, uma vez que as pessoas e/ou organizações estão dispostas a contribuir, confiantes que sua doação será bem gerida. Quando a organização é bem gerenciada, ela passa a deter maior credibilidade junto ao governo, sociedade, agentes financiadores, entre outros, o que contribui para o bom desempenho financeiro da organização.

Prestação de serviços

Por conta dessa realidade desenvolvemos um trabalho de captação de recursos é realizada conforme a finalidade da organização, em todas as etapas necessárias desde o planejamento estratégico, elaboração do projeto, acompanhamento na execução e prestação de contas utilizando as mais diversas esferas e plataformas, buscando assim recursos disponíveis, mas nem sempre abertos para o conhecimento de todos.

Destacamos os serviços no processo de captação o qual realizamos:

– Planejamento das estratégias para a captação de recursos;

– Captação de emendas parlamentares (municipal, estadual e federal);

– Captação de extraemenda (recurso direto do ministério); captação através de editais;

– Captação através de leis de incentivo (municipal, estadual e federal);

– Captação através da doação direta;

– Elaboração do projeto, suporte na execução dos recursos captado, realizando o acompanhamento da gestão do projeto;

– Finalizando com a prestação realizada, comprovada e aprovada.

Esta estratégia, além de aproximar sua associação da comunidade, abre espaço para que mais pessoas conheçam a sua organização e abre possibilidade de captar novos associados.

Sendo assim, usar a captação de recursos abre espaço para novas possibilidades de arrecadação, além de promover mais engajamento dos funcionários da instituição que precisam pensar em estratégias para conseguir boas ações de captação.

É importante que a organização possua um bom planejamento e estratégias de captação de recursos, mas não somente isso, tão importante quanto a captação, é o planejamento de como serão usados os recursos captados, aumentando assim, a confiança de doadores, além de gerar maior sensibilidade com a causa.

_______________________________________________________

Esta é uma empresa secular e nada tem a ver com os evangélicos.

Os interessados podem entrar em contato com Juliane Figueiredo:

(38) 99132-0324

@jullianesouza_projetos

jullianefigueiredo@gmail.com

Comments


bottom of page