top of page

Critérios para se adotar um novo missionário

Uma igreja saudável que ama e vive missões, seguramente investe boa parte dos seus recursos no fomento à obra missionária. Notadamente, uma das formas mais eficazes de se investir em missões é através da “Promessa de Fé”, meio pelo qual a igreja local se compromete a enviar mensalmente um valor “x” aos missionários adotados por ela. 

 

Diante de um contexto de escassez financeira presente na maioria das igrejas (batistas tradicionais), faz-se ainda mais necessário a utilização de critérios válidos que auxiliem a igreja na escolha correta e sensata dos seus novos missionários. No entanto, quais seriam esses critérios? Este artigo não tem por objetivo definir, mas sim sugerir alguns critérios às igrejas. Para isso, propomos o seguinte: 

 

1 - Antes de permitir que um missionário (ainda desconhecido) visite e apresente seu projeto na igreja, busque referências fidedignas do mesmo, conferindo-as por telefone ou por outro meio direto. Este ato, por si só, protegerá sua congregação contra possíveis hereges e charlatões da fé cristã. Aqui na Igreja Batista Independente de Formiga MG, a observância deste simples critério já nos resguardou de entregarmos o púlpito e o coração da igreja a oportunistas indesejados.  

 

2 - Nunca adote um missionário baseando-se em mero grau de parentesco ou porque cresceram juntos na mesma igreja! Se ele tem caráter duvidoso, fuja dele! É melhor perder uma suposta “amizade” do que perder a leveza de uma consciência tranquila perante Deus!

 

3 - Observe se o missionário desfruta um relacionamento íntimo com o Senhor. Para isso, atente-se para os detalhes, eles são reveladores! Já hospedei alguns missionários que abriam suas bíblias apenas na igreja, na hora de pregar; ou que passavam muito tempo no celular, lendo ou assistindo conteúdo sem relevância. As conversas informais também revelam muito sobre o que o missionário guarda em seu íntimo, afinal, “a boca fala o que está cheio o coração”!  

 

 4 - Procure saber como se deu o seu "chamado" ao ministério. Curiosamente, alguns não são nada convincentes! São, na verdade, convenientes! Enquanto escrevo este artigo lembro-me de alguns casos, mas por uma questão de decência e ética pastoral, obviamente não os mencionarei. 

 

 5 - Pesquise sobre a igreja enviadora do missionário, sobre a vida do seu pastor (mentor) e sobre a credibilidade da agência missionária. A probabilidade dele se tornar um “clone” do seu pastor e de implantar uma igreja com o mesmo “DNA” da sua igreja mãe são altíssimos! Deste modo, se ele vem de uma boa igreja, se é pastoreado por um pastor temente a Deus e recebe treinamento de uma agência missionária competente, ele muito provavelmente cumprirá com excelência a vontade de Deus na sua vida!  

 

6 - Avalie a viabilidade do projeto missionário. Há projetos maravilhosos e muito bem estruturados, no entanto, há outros que nem podem ser chamados de projeto! E quando não há planejamento, as coisas tendem a acontecer aleatoriamente, de forma lenta e muito desorganizada! Conheço missionários que pregam muito bem, mas em contrapartida, são desorganizados e desatentos, o que acaba atrasando ou inviabilizando a realização do próprio projeto. Fato lamentável! 

 

7 - E por fim, mas não menos importante, ORE! Ore antes, durante e depois de todo este processo! Estou seguro de que Deus lhe dará a paz que você precisa para tomar a decisão correta, se estiver atento à voz do Espírito Santo e aos detalhes acima mencionados. 

 

Investir em Missões vale a pena, vale cada centavo! É um privilégio, um passo de fé e um ato de obediência ao IDE de nosso Senhor Jesus Cristo! Avante, igrejas e missionários!

Comments


bottom of page