top of page

Jesus Te Vê

Thiago Bezerra de Lima



É membro da Igreja Batista Vitória em Sorocaba SP, enviado como missionário através da AMI - Associação Missionária Internacional para plantar uma igreja em Iperó SP.

É casado com Gisele Gomes e pai da Agnes.


Texto Base: Mateus 5:1-3



CONTEXTO

Desde então começou Jesus a pregar, e a dizer: Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus. (Mateus 4:17).


O que seria esse reino dos céus que Jesus menciona? Esse reino é mencionado frequentemente nos Evangelhos e outros livros do Novo Testamento. Às vezes é descrito como Reino dos Céus ou Reino de Deus. Em termos gerais, o Reino de Deus ou dos Céus é o domínio do Deus Eterno e Soberano sobre todo o universo. Encontramos na Palavra de Deus inúmeras menções a esse Reino que foi estabelecido pelo SENHOR. Salmo diz que o SENHOR estabeleceu o seu trono e o seu reino domina sobre tudo (Salmo 103:19). Nabucodonosor declarou que o Reino de Deus é um reino sempiterno, que dura para sempre e dominará de geração em geração (Daniel 4:3). Paulo diz que toda autoridade que existe foi estabelecida por Deus (Romanos 13:1). Portanto, o reino de Deus incorpora tudo o que existe.


Mateus, em seu Evangelho, faz inúmeras referências ao Reino dos Céus. Ele é o autor do Novo Testamento que mais fala sobre esse reino. Poderíamos dizer que esse livro de Mateus é o Evangelho do Reino. Poderíamos dividir os capítulos 1 a 10 de Mateus como Jesus se revelando como o Rei dos Judeus.


Mas pense um pouco, o que é necessário para que um reinado exista? Alguém que governa, alguém que é governado e o reconhecimento da autoridade do governante. A pergunta que surge é: Será que esse reino já existe? A resposta que vem é não! Existe o Rei Jesus, mas nem todos querem se tornar súditos, nem todos querem dar poder ao Rei. Jesus veio, ofereceu o reino, mas foi rejeitado por seu próprio povo. Isso significa que Jesus ainda não está reinando.


Em segundo lugar, também existe o fato de que Jesus ensinou seus discípulos a orar pela vinda desse Reino. Mais para frente, Jesus orienta que ninguém deveria se preocupar com o que comer, o que vestir, ou onde morar, mas buscar primeiro o reino de Deus e a sua justiça (Mateus 6:9-10, 33). Portanto, se há a necessidade de orar para que esse reino venha e buscar por esse reino que é justo, significa que ele ainda não foi inaugurado. Se eu creio que o Reino de Deus já foi inaugurado, então as promessas do reino são para mim. Se eu creio que o Reino de Deus ainda não foi inaugurado, então as promessas do reino não são para mim! Consegue notar a diferença de escolher entre um e outro?


Deixa eu ilustrar de outra forma, por exemplo, Isaías 35 fala sobre a felicidade futura de Sião e lá descreve um lugar maravilhoso, cheio de remidos (Isaías 35:10). Sião é a Cidade de Davi, aonde está a fortaleza em Jerusalém. Você acha que essa promessa para os israelitas já está sendo cumprida? A resposta é um óbvio que não! Logo, se eu acredito que já vivemos no Reino, então essa promessa é para o presente. Mas nós não acreditamos que já vivemos no Reino, logo, essa promessa é para o futuro. E ansiosamente, aguardamos por esse dia em que o Rei virá, arrebatará sua igreja e inaugurará seu Reino Milenar. Consegue imaginar como será esse dia em que Jesus vem para inaugurar esse reino? Tudo será diferente, tudo será maravilhoso.


Então, minha pergunta pra você hoje é: Você tem buscado esse Reino?


Desenvolvimento:


Essa é a primeira de uma série de estudos no Sermão do Monte e eu gostaria de chamar sua atenção para o texto que diz: "E Jesus, vendo a multidão, subiu a um monte, e, assentando-se, aproximaram-se dele os seus discípulos" (Mateus 5.1)


Primeiro: há uma multidão!

Segundo: Jesus vê essa multidão!


Contudo, quem são as pessoas que compõem essa multidão? Se olharmos para o capítulo 4, vemos que após o batismo de Jesus, ele volta para Galileia, muda-se de Nazaré para Cafarnaum, às margens do Mar da Galileia, os primeiros discípulos são chamados. Os primeiros milagres são realizados, e a pregação começa a tomar destaque. Então, quem era a multidão? Pessoas doentes, paralíticas, atormentadas, endemoniadas, lunáticas. Ou seja, pessoas que haviam sido curadas pelo denominado Rei dos Judeus.


Jesus viu essa multidão, uma multidão doente em busca de cura, uma multidão sem um rei em busca de um líder libertador. A palavra grega usada por Mateus para descrever o que Jesus vê tem a ver com "perceber", "notar", "observar". Jesus vê o íntimo daquelas pessoas. Veja, por exemplo, o uso desse verbo em Atos 7:34, quando Estevão fala do povo de Deus sofrendo no Egito. Deus viu a aflição do seu povo e ouviu o seu clamor, e desceu para livrá-los. Do mesmo jeito, Jesus percebeu a aflição dessas pessoas e através da sua graça e do seu amor além de oferecer a salvação, também ofereceu carregar seus fardos. Isso não é incrível? Essas pessoas estavam no pior estado possível, e Jesus as viu, Jesus as notou.


Quer saber uma coisa? Jesus também te vê! Independentemente de qual for o seu problema, Jesus te vê e sabe o que você está passando! Ele vê suas dores, ele vê suas aflições, ele vê suas necessidades. Quantas e quantas vezes achamos que Jesus está aquém das nossas dificuldades? Quando na verdade ele está pronto a nos ouvir e no mínimo nos dar uma paz que excede todo entendimento. Jesus está te vendo! Mas e você? Tem visto Jesus? Tem buscado em Jesus a resposta para suas dificuldades? Ou tem ido em busca de outras fontes para solucioná-los? Jesus também está vendo isso.


Jesus vê sua multidão, mas será que essa multidão estão indo atrás de Jesus para somente para solucionar os seus problemas? Ou para ter um relacionamento sincero com Ele? Você sabe aonde encontrar Jesus? Você quer ser encontrado por Jesus? Basta você ir até ele, porque ele está ali, ele vê você. Ele vê você! Jesus te vê!


Amém.

Opmerkingen


bottom of page