top of page

Nome sobre todo nome

Ah!! Os filhos!! Que presente maravilhoso e grandioso que Deus nos concede: a maternidade. Os primeiros sinais da gestação: os enjoos, o atraso no ciclo... Todos os pequenos alertas que o corpo dá quando estamos ‘esperando’. Logo vem a busca pelo nome... “Quem vai escolher? Eu gosto desse... Eu daquele...” E vão-se os meses até o grande dia... A ansiedade, a preocupação, o fim da espera.

 

Segurar o filho nos braços é um misto de sentimentos: alegria incalculável com a responsabilidade sufocante. Um pequeno ser dependente, impotente e graciosamente dominante. Com o passar dos anos sempre ouvi de pais, e pude constatar com minhas pequenas, que não poderia ser outro nome a não aquele que os filhos receberam; isso porque nome indica pessoalidade, individualidade. Imagina então um Nome profetizado aproximadamente 700 anos antes do nascimento!!!

 

Em Isaías, o profeta messiânico, lemos a respeito desse Nome: “¹⁴ Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel” (Is 7.14).

E,

⁶ Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz”. (Is 9.6)

Um Nome poderoso, gracioso, honrado. Quão significativo pode ser um nome ou quão desafiador pode ser proclamá-lO?

 

Há nomes que foram mudados

Algumas histórias bíblicas nos trazem homens que carregavam suas mazelas atreladas aos seus nomes. Jacó, o enganador, precisou passar 20 (vinte) anos sendo enganado, lutar com o Príncipe de Deus para então ter seu nome e sua vida mudados.

 

O patriarca Abraão e sua mulher Sara tiveram seus nomes mudados ao receberem a promessa de uma grande nação; promessa de prosperidade e fertilidade para gerações futuras. Daniel e seus amigos foram conhecidos por outros nomes ao serem transportados para Babilônia e fazerem conhecido o Deus de Israel em território pagão.

 

Há nomes que adquirimos por relações familiares

Quando nasci fiz parte de uma família e herdei os nomes da minha mãe e do meu pai. A partir desse momento estava debaixo da guarda, da tutela desse nome. Minha provisão, o cuidado da saúde, da vestimenta, da educação e tudo mais estava cercado por aqueles que me deram tudo o que precisava para crescer com segurança.

 

Isso porque estava sob a autoridade representada pelas leis humanas por um nome registrado legalmente nos meus documentos. Estava submissa a essa autoridade. Ao me casar, passei a utilizar o nome do meu esposo; aquele que agora detém os direitos de autoridade, provisão e cuidado. Aquele a quem a partir de então devo submissão. (cf. Ef 5.22-25).

 

Podemos compreender a seriedade dessa verdade rememorando a história de Noemi e Rute; mulheres viúvas desprovidas de cuidado e sustento. Foram em busca de sua parentela, em busca do remidor que faria valer o nome dos falecidos e lhes outorgaria vida e convívio familiar novamente.

 

Há nomes que foram referenciados

O primeiro homem Adão, foi referenciado como o homem do pecado em comparação ao Salvador. Os patriarcas Abraão, Isaque e Jacó foram referenciados como pais da grande nação de Israel. Samuel teve seu nome chamado por três vezes até compreender seu ministério. João o Batista foi destacado pelo próprio Senhor Jesus como 'o maior dentre os nascidos de mulher'. O rei Davi, como aquele de quem viria o Salvador do mundo.

 

Há no livro de Hebreus 'uma tão grande nuvem de testemunhas' que foram louvadas por sua grande, especial e particular fé. A mulher em Betânia que derramou unguento de nardo puro no Senhor Jesus "onde quer que este evangelho for pregado em todo o mundo, também será referido o que ela fez, para memória sua." (Mt 26.13)

 

Há UM Nome que é sobre todo nome.

Muitos outros nomes foram mudados, referenciados e até omitidos nas Escrituras. Mas há um só Nome que tem poder para dar vida, para curar, para perdoar; um Nome que não precisa ser mudado, mas exaltado; Nome a que está sujeita toda raça humana.

 

Um Nome que possui uma linhagem, uma sucessão terrena nobre, descende do grande rei Davi, embora este O tenha louvado como seu Senhor... O mais ilustre membro da tribo de Judá, até então, reconhece sua pequenez diante dAquele sucessor muito mais elevado e digno do que ele.

 

Diante dEle não existe homem, mulher, rei, juiz, pequeno ou grande, pois todos lhe são e estão sujeitos. Um Nome doce que tem prazer em reconciliar a si aqueles que estão perdidos; um Nome que nos constrange a ser melhor servos e cristãos.

 

Um Nome digno de toda adoração. Jesus Cristo aquele que foi profetizado por Isaías; um bebezinho que nasceria da virgem com um propósito sublime de sacrifício completo e definitivo ao alcance de todo aquele que crê.

 

Um Deus que se faz presente, que está com seus filhos em todos os momentos e mesmo sendo o grandioso Criador do universo, faz morada em nossos corações e está sensível a oração daqueles que O buscam em espírito e em verdade.

 

Um Deus conselheiro que nos guia em todo tempo; um Deus forte que sustenta todas as coisas com a destra do seu poder. Aquele que era, que é e que há de vir... O Eterno e inescrutável, que traz paz ao coração aflito.

 

Ele deve ser proclamado, divulgado por toda tribo, língua e nação para que todos ouçam e conheçam o Nome por meio do qual importa que sejamos salvos; o nosso Remidor. Devemos falar dEle 'a tempo e fora de tempo' (2 Tm. 4.2), sendo agradável ou não, sendo oportuno ou não.

 

No próximo dia 25 teremos mais uma oportunidade de testificar a verdade sobre Ele e Seu propósito; vamos celebrar esse Nome que, ainda que não tenha nascido neste dia, é digno de ser lembrado, festejado, adorado; porque Ele vive, me conhece pelo nome e me concederá um novo nome que será pessoal, único e familiar para toda eternidade.

 

Que Nome precioso e inestimável!!! O Nome do meu Senhor e Salvador!

Textos base: “Em nenhum outro há salvação porque também debaixo do céu nenhum outro nome há dado entre os homens pelo qual devamos ser salvos”.  At 4.12.

⁹ Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; ¹⁰ Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, ¹¹ E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai.

Fp 2.9-11

______________________________________________

LUANA S V BATISTA

CASADA COM PR. HUDSON, PASTOR DA IBC DE DOURADOS MS

MÃE DA DÉBORA (12) E DA MARINA (06)

BANCÁRIA. FORMADA EM LETRAS PELA UEMS.

BÁSICO EM TEOLOGIA NO SEMINÁRIO BATISTA EMAÚS EM CUIABÁ MT

bottom of page