top of page

O cristão, o mundo presente e o mundo vindouro

Chegamos ao final de mais um ano e avançamos rapidamente na terceira década do século vinte e um. Como avaliar o ano que chega ao fim e fazer estimativas para o futuro? Eu estava refletindo sobre essa pergunta, quando li uma frase do escritor C. S. Lewis que me impactou fortemente, pela verdade que ela expressa: “Se você observar a história, descobrirá que os cristãos que mais fizeram pelo mundo presente foram justamente aqueles que mais pensaram no mundo vindouro”.

Reflexão para o final de um ano

Quando avaliamos o impacto que os cristãos e a igreja, corpo de Cristo, trazem para a sua época, teremos que concordar com esta nítida constatação. Ao longo da história, quando os pensamentos, os sentimentos e as ações dos cristãos e da igreja focaram nas demandas culturais, sociais, educacionais, filosóficas, econômicas e políticas do aqui e agora, o impacto se mostrou pífio. Por outro lado, quando, pela ação poderosa do Espírito Santo, o foco dos cristãos e da igreja esteve na Palavra de Deus e na propagação do Reino de Deus com a esperança da vida eterna, em Cristo, aconteceu um impacto positivo e saudável, em todas as esferas da sociedade, o qual não pode deixar de ser percebido.

Hoje, precisamos de cristãos que vivam absorvidos, antes de tudo, com a perspectiva da soberania do Deus Triúno, desejando que o Nome do Pai Celeste seja santificado, que venha o Seu reino e que a Sua vontade seja feita assim na terra, como no céu.

Deus tem revelado o Seu propósito de fazer convergir em Cristo, “na dispensação da plenitude dos tempos, todas as coisas, tanto as do céu como as da terra”. Carecemos hoje de cristãos que pensem e vivam na expectativa desta “bendita esperança”, plenamente conscientes de que para este mundo “foram também feitos herança, predestinados segundo o propósito daquele que faz todas as coisas conforme o conselho da sua vontade”, a fim de serem para louvor da Sua glória, conforme está registrado em Efésios 1:9-12.

Que Deus, em Sua infinita graça e bondade, desperte cristãos para viverem cada dia, cada semana, cada mês, cada ano e cada década, não no aqui e agora, mas na perspectiva da eternidade. Que você, leitor, seja um cristão que viva dia a dia extasiado e grato por contemplar estes milagres de Deus, que enchem o coração de regozijo, de gratidão, de louvor e de adoração.

O milagre da criação – “Pela fé, entendemos que o universo foi formado pela palavra de Deus, de maneira que o visível veio a existir das coisas que não são visíveis” (Hebreus 11.3).

Contemplemos, admirados, o espaço infinito com as suas galáxias e também o nosso planeta Terra com as mais variadas formas de vida, dentre as quais a mais extraordinária é o ser humano, criado à imagem de Deus. Contemplemos, com deleite, a maneira perfeitamente ordeira como Deus mantém e sustenta tudo quanto existe.

Que milagre pode ser comparado a este? Adoremos ao Criador e Sustentador do Universo!

O milagre da encarnação – “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez. … E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai” (João 1.1-3, 14).

Pensando no Natal que se aproxima, contemplemos, extasiados, o significado dessa data: o “grande mistério da piedade”, o Criador fazendo-se homem para nos redimir com o Seu precioso sangue.

Que milagre pode ser comparado a este? Adoremos Àquele que recebeu o nome de Jesus, pois veio para salvar o seu povo dos pecados, e cujo nome é Emanuel, que significa Deus conosco!

O milagre da regeneração – “Mas quando se manifestou a bondade de Deus, nosso Salvador, e o seu amor por todos, ele nos salvou, não por obras de justiça praticadas por nós, mas segundo a sua misericórdia. Ele nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo, que ele derramou sobre nós ricamente, por meio de Jesus Cristo, nosso Salvador, a fim de que, justificados por graça, nos tornemos seus herdeiros, segundo a esperança da vida eterna” (Tito 3.4-7).

Contemplemos, com o coração contrito, a ação do Espírito Santo que nos leva a crer na realidade da Criação, na realidade da Encarnação do Filho de Deus e na realidade da Obra de Jesus Cristo, derramando Seu sangue na cruz, sangue que nos purifica de todo pecado. Jesus, sendo sepultado, ao terceiro dia ressuscitou triunfantemente! E, enfim, nos enviou o Espírito Santo, que opera em nós o Novo Nascimento.

Que milagre pode ser comparado a este? Adoremos Aquele que produz em nosso coração o fruto precioso do amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio.

Reflexão para o início de um novo ano

O Deus Triúno deve ser adorado por estes milagres tão reais em nossas vidas.

E nosso coração deve rejubilar em gratidão por termos a Palavra de Deus, que fala ao nosso coração, nos instrui e se constitui em nossa sabedoria. Bendito seja Deus pelo milagre de nos ter dado e preservado até aqui a Bíblia Sagrada. Disse Jesus: “Passará o céu e a terra, porém as minhas palavras não passarão” (Mateus 24.35).

A Bíblia nos apresenta as promessas de Deus para o mundo presente e o mundo vindouro, as quais são motivos de louvor: “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestiais em Cristo” (Efésios 1.3). E ainda: “Aquele que não poupou o seu próprio Filho, mas por todos nós o entregou, será que não nos dará graciosamente com ele todas as coisas?” (Romanos 8.32).

Que você e eu firmemos um propósito e oremos pedindo a Deus que nos tornemos cristãos, a respeito de quem se dirá no futuro:

– Aqueles crentes da década de 2021-2030, que foram de grande bênção no Brasil, eram cristãos que pensavam mais no mundo vindouro. Sim, eram cristãos que atenderam à recomendação apostólica: “Portanto, se vocês foram ressuscitados juntamente com Cristo, busquem as coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus. Pensem nas coisas lá do alto, e não nas que são aqui da terra” (Colossenses 3.1, 2). Eles buscavam uma vida diária de santidade (conforme se lê no capítulo três da carta aos Colossenses). E atenderam ao mandamento: “Que a palavra de Cristo habite ricamente em vocês. Instruam e aconselhem-se mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus com salmos, hinos e cânticos espirituais, com gratidão no coração. E tudo o que fizerem, seja em palavra, seja em ação, façam em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai” (Colossenses 3.16, 17).

Sejamos, no meio de uma sociedade corrompida, verdadeiros milagres de Deus! Para a glória do Seu Santo Nome!

Gilberto Celeti

gilceleti@gmail.com

Comments


bottom of page