top of page

O Efeito Dominó do Pecado de Adão

E o Senhor Deus ordenou ao homem (Adão): “Coma livremente de qualquer árvore do jardim, mas não coma da árvore do conhecimento do bem e do mal, porque no dia em que dela comer, certamente você morrerá“. Então o Senhor Deus declarou: “Não é bom que o homem esteja só; farei para ele alguém que o auxilie e lhe corresponda“. (Gênesis 2.16-18)

A ordem era clara, mas eles desobedeceram:

“Vendo a mulher que a árvore era boa para se comer, agradável aos olhos e árvore desejável para dar entendimento, tomou-lhe do fruto e comeu e deu também ao marido, e ele comeu.” (Gênesis 3.6)

Se Adão não tivesse desobedecido (veja figura), então a história poderia ser outra. Mas tudo está além do pensamento humano e dentro da vontade e da permissão de Deus.

Seja dada a proposição P(n): “Pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus” (Romanos 3.23).

Proposições como esta podem ser demonstradas por meio do Princípio de Indução Matemática (PIM). Para isto, precisamos provar que P(1) é verdadeira, ou seja, que existiu um primeiro ser criado por Deus que pecou. Depois, supomos que P(n) seja verdadeira para algum n (arbitrário) maior ou igual que 1, e usamos esta hipótese (chamada de hipótese de indução) para provar que P(n+1) também é verdadeira. Neste segundo passo, para que possamos entender melhor, precisamos provar que se o primeiro ou qualquer outro pecou, então o próximo também pecou.

Na figura, P(1) representa, inicialmente, se (Eva) pecou ou não pecou. Assim, de forma geral, P(n) representa a proposição aplicada a qualquer ser criado por Deus. Vejamos então a demonstração da proposição:

Conforme Gênesis 3.6, temos claramente que P(1) é verdadeira. Outrossim, P(2) também é verdadeira. Isto é, a primeira mulher pecou, e o primeiro homem também pecou.

Além disso:

a) Diz a palavra do Deus Criador (o primeiro e maior cientista que existe):

“Os ímpios erram o caminho desde o ventre; desviam-se os mentirosos desde que nascem.” (Salmos 58.3)

Quem poderá dizer: “Purifiquei o coração; estou livre do meu pecado?” (Provérbios 20.9)

“Todavia, não há um só justo na terra, ninguém que pratique o bem e nunca peque.” (Eclesiastes 7.20)

b) E dizem também os estudos de outros cientistas:

Existem semelhanças no DNA mitocondrial, que é transmitido pelas mães de geração em geração, e, portanto, todos os seres humanos são descendentes de um único casal.

Logo, conforme (a) e (b) não é difícil vermos, ao supormos que P(n) seja verdadeira, para algum n maior ou igual a 1, que consequentemente P(n+1) também é verdadeira. Portanto, a proposição P(n) é sempre verdadeira. Isto é, qualquer um que veio depois de Adão e Eva é pecador. Caim, eu e você somos pecadores. Todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus.

Igualmente como a água desloca-se nos compartimentos de um navio podendo afundá-lo para sempre, o efeito dominó do pecado de Adão levaria toda a humanidade para o inferno, uma vez que a consequência do pecado é a morte (Romanos 6.23). Mas assim como pela desobediência de um só homem (Adão) muitos se tornaram pecadores, da mesma forma, pela obediência de um (Jesus Cristo) muitos se tornarão justos (Romanos 5.19).

Uma grande parte é questão de Fé, pois se assim não fosse, também não seria um Milagre. Mas também existe Lógica conforme a demonstração que acabamos de fazer usando o princípio de indução finita. O conjunto formado pelas pessoas deste mundo que são boas e nunca pecam é vazio.

Todas as 8 bilhões de pessoas nascidas até aqui, criadas por Deus, exceto Jesus Cristo, são ou foram pecadoras.

E essa é a única e a verdadeira esperança que temos. É uma escolha, e, ao mesmo tempo, um Milagre! É tudo contável (enumerável) na perspectiva de Deus. E existirão finitas oportunidades, e uma porta que se abrirá finitas vezes para você (João 10.9).

O primeiro passo para a vida eterna é reconhecer que P(você) é verdadeira. Isto é, que você é um pecador. Talvez, isso você já reconheça, mas esteja tentado buscar outros caminhos para uma reconciliação.

Não há outro caminho (João 14.6). Não há como usar uma riqueza passageira do mundo como, por exemplo, o dinheiro e salvar-se! Precisamos provar? E não há como encontrarmos salvação fazendo a maior quantidade de boas obras possíveis. Senão vejamos:

“Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus; não por obras, para que ninguém se glorie.” (Efésios 2.8-9).

Existe uma única solução e uma única verdade:

“Mas Deus demonstrou seu amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores.” (Romanos 5.8)

“Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3.16).

A vida é similar àquele filme real onde os “principais personagens” só têm alguns anos de vida. E existe um óbvio que o mundo, ou mais precisamente, as pessoas que amam o mundo, aos poucos nos impedem de dizer. O que você faria se só tivesse alguns anos ou meses de vida por aqui? É óbvio que os nossos dias estão contados, já que somos finitos aqui. E, após a morte, aqueles que amaram este mundo, e não se arrependeram em vida, irão para o inferno.

O segundo passo é crer que a proposição aplicada em Jesus Cristo é falsa (leia 1 Pedro 2:22), e que além disso Ele veio a este mundo para salvar os pecadores, do qual eu que vos escrevo sou também um dos piores (leia 2 Coríntios 5.21, 1 Timóteo 1.15).

Porém, a eternidade não depende do “somente crer”, pois aquele que gerou a primeira mentira, quando fez P(1) ser verdadeira, também crê. Satanás e toda a sua equipe não apenas creem, mas tremem (Tiago 2.19).

A porta é estreita, e apertado é o caminho que leva à vida, por isso são poucos os que a encontram (Mateus 7.13-14). Eis o terceiro passo: Se você confessar com a sua boca que Jesus é Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo. Pois com o coração se crê para justiça, e com a boca se confessa para salvação (Romanos 10.9-10).

Ser um filho de Deus começa com uma oração e um grito de aleluia que você dá aqui, e todos os anjos ouvem e se alegram no céu (Lucas 15.7). O conjunto de todas as pessoas que pertencem a este mundo e não pecam, é vazio. Mas há um conjunto finito de cardinalidade determinada, formado pelas pessoas escolhidas por Deus, e que viverão a eternidade ao seu lado.

Doravante, seja você também um Eterno Filho de Deus. Que Ele te abençoe.

bottom of page