top of page

O ministério dado por Deus às mães

Encontramos no segundo capítulo da epístola de Paulo a Timóteo uma importante manifestação do apóstolo no que tange a posição das mulheres nas reuniões públicas da igreja de Cristo. Após orientar aos homens como devem proceder na condução destas reuniões (verso 8), Paulo instrui também as mulheres a respeito de seu papel na igreja, onde devem assumir uma posição de sujeição quanto aos homens (versos 10,11), fato que encontra sua razão na própria criação da humanidade (versos 13,14). Um primeiro olhar desatento a este texto pode levar alguns a imaginarem que a mulher não possui função alguma na igreja de Cristo, sendo reduzida a nada, o que não é verdade. A doutrina cristã lança sobre os homens a autoridade de conduzir a igreja através dos ministérios designados no Novo Testamento. Mesmo que a liderança pública da igreja seja um ministério exclusivamente masculino, a Bíblia nos mostra que as mulheres não formam deixadas de lado nos planos de Deus, possuindo um ministério específico dado a elas, como Paulo nos ensina ao dizer “Salvar-se-á, porém, dando à luz filhos, se permanecerem com sobriedade na fé, no amor e na santificação” (1 Timóteo 2.15). Faremos bem em nos atentar a esta verdade.


Primeiramente, reconheçamos que estamos diante de um dos mais difíceis versículos encontrados nas Escrituras, o que nos ajudará a usarmos de prudência em seu entendimento. Antes de tudo devemos entender que a referência deste verso a salvação não diz respeito a salvação da alma das mulheres, mas a manutenção de sua posição na igreja, que é, como vimos, o assunto central desta passagem. Embora seja verdade que nenhum ministério de liderança seja designado as mulheres, elas possuem um importante e vital ministério em relação à igreja. A menção neste verso ao nascimento de filhos nos aponta o significado dado a ele pelo apóstolo Paulo. É a vontade de Deus que as mães se dediquem a criarem seus filhos para Deus, produzindo através deles preciosos frutos para a obra do Senhor. Que não nos enganemos, a impossibilidade de exercerem liderança na igreja local não significa que as mulheres não sejam capazes de influenciar e abençoar a igreja de Cristo. O ministério dado a elas pode não ter um papel público, porém seu trabalho diário e constante de educar e influenciar os filhos nos caminhos do Senhor tem exercido uma poderosa influência sobre todas as gerações de cristãos.


Talvez encontremos ainda entre os cristãos alguns que concluem que o ministério dado por Deus as mães não possua uma real importância na igreja de Cristo. Recordemos aquilo que o próprio apóstolo Paulo escreveu a respeito de Timóteo, falando tanto de sua mãe como de sua avó, que primeiro do que ele serviram ao Senhor. Paulo faz questão de recordar a Timóteo esta verdade no primeiro capítulo de sua segunda epístola ao dizer “Trazendo à memória a fé não fingida que em ti há, à qual habitou primeiro em tua avó Loide, e em tua mãe Eunice, e estou certo de que também habita em ti” (2 Timóteo 1.5). Com certeza a vida destas mulheres exerceu poderosa influência sobre Timóteo, moldando o homem que, em grande parte, deu continuidade ao ministério do apóstolo Paulo.


Que os cristãos sejam unânimes em reconhecer a importância deste ministério privado que as mães cristãs desempenham dentro de seus próprios lares. Há um ditado popular que diz “A mão que balança o berço governa o mundo”, demonstrando que até mesmo os ímpios reconhecem esta verdade. Certamente na eternidade seremos surpreendidos pela recompensa concedida pelo Senhor a estas valorosas mulheres, que mesmo escondidas dos olhos das multidões, trabalharam silenciosamente a fim de glorificar a Deus através de seus filhos.


Glória a Deus pelas mães cristãs!

Comments


bottom of page