top of page

Tipos de Mães

A mais antiga comemoração do dia das mães é mitológica. Começou na Grécia antiga, na entrada da primavera, quando se fazia uma festa em honra de Rhea, a mãe dos deuses. Mas na verdade o primeiro Dia das Mães foi com a criação da mãe de todos nós chamada Eva como lemos em Gênesis 3:20: “E chamou Adão o nome de sua mulher Eva; porquanto era a mãe de todos os viventes”.  Entretanto, foi no início do século XVII, que a Inglaterra começou a dedicar o quarto domingo da quaresma às mães das operárias inglesas. Portanto, nesse dia as trabalhadoras tinham folga para ficar em casa com as mães.

 

Já nos Estados Unidos, as primeiras sugestões em prol da criação de uma data ocorreram em 1872 por Júlia Ward Howe, autora da letra do hino do país. Contudo, foi outra americana, Ana Jarvis, da Filadélfia, que em 1907 iniciou a campanha para instituir o Dia das Mães, em consideração à sua amada mãe cujo falecimento a tinha levado a uma profunda depressão.

 

Preocupadas com aquele sofrimento, algumas amigas tiveram a ideia de perpetuar a memória de sua mãe com uma festa. Ana quis que a homenagem fosse estendida a todas as mães. E em pouco tempo a comemoração se alastrou por todo o país e, em 1914, sua data foi oficializada pelo presidente Thomas Woodrow Wilson no dia 9 de maio.

 

No Brasil, o Dia das Mães é celebrado no segundo domingo de maio, conforme decreto assinado em 1932 pelo presidente Getúlio Vargas.  Desde então, temos celebrado nacionalmente esse dia que é um dos mais importantes e populares do nosso calendário.

 

Você até pode dizer que “dia das mães” são todos os dias. Mas nem todos os dias paramos para pensar e celebrar esse querido dia.

 

Tipos de mães

 

Também sabemos que existem vários tipos de mães. Por exemplo:

 

·        Tem a mãe protetora - está sempre protegendo a sua prole, com cuidados do tipo: pegou um agasalho? vai esfriar… não esqueça o guarda-chuva, pode chover a tarde…

 

·        Tem a mãe professora - ensina tudo nos mínimos detalhes, e repete duas a três vezes a mesma coisa, mas é só para ter certeza que entenderam.

·        Tem a Mama italiana - é aquela preocupada em fazer todo tipo de comida que os filhos gostam, de forma saborosa, e depois das refeições ela sempre aguarda um elogio. Ela também sempre acha que os filhos casados estão muito magros e que não estão se alimentando direito.

 

·        Tem a Ydish Mame (mãe judia) - que é a mistura da mãe protetora com a Mama italiana. Mas que enxerga seus filhos como os mais inteligentes e belos, aos seus olhos. Conhecida por muito como mãe coruja.

 

·        Tem a mãe descolada - aquela que procura acompanhar os filhos em tudo, nas atividades escolares e extracurriculares. Aquela mãe que todos os coleguinhas querem ir fazer trabalho na casa dela, pois sabem que vão ser bem recebidos, além do lanchinho especial.   

 

·        Tem a mãe hightech - super antenada nas tecnologias de ponta, nos mais recentes smartphones, conhece milhares de aplicativos. Ama as mídias sociais, está no Facebook, Instagram, tem até canal no Youtube etc.

 

Mãe da promessa

 

E na Bíblia temos vários tipos de mães também. Gostaria de falar em particular de uma, que é chamada de a mãe da promessa. A quem o próprio Deus prometeu um filho. O nome dela é Sara, ela foi a matriarca da promessa.

 

Sara acompanhou seu marido Abraão quando Deus os chamou para a Terra Prometida (Gn.12:1-5). Sara como as demais não era perfeita, vemos isso claramente na situação em que envolve sua serva Agar na tentativa de ajudar à Deus a providenciar um filho (Gn.16:5). Deus até mudou o nome dela tal como aconteceu com Abraão.,. Sarai, cujo significado é “minha princesa” passará a ser chamada de Sara, forma feminina de Sar “príncipe” (Gn.17:15)

 

Portanto, Sara significa “princesa, dama da corte, rainha”. Ela simplesmente recebeu as promessas de bênçãos que incluíam ter um filho e ser mãe de reis e de nações (Gn.17:16).

 

Além disso, ela foi elevada a uma posição de alta dignidade entre os seus pares, de acordo com o pacto [divino], e pode-se destacar que a mudança de nome foi um indício do favor divino na vida de determinada pessoa, como foi o seu caso (HOFF, 1995, p.30).

 

A alteração no seu nome mostrou que ela se tornaria uma personagem importante no cumprimento das promessas, condição sine qua non (CHAMPLIN, 2001, p.129). Os novos nomes de Abrão e Sarai para Abraão e Sara serão usados agora em toda a Bíblia. Agora Sara deve ser mãe conforme disse Deus: “Porque eu a hei de abençoar, e te darei dela um filho; e a abençoarei, e será mãe das nações; reis de povos sairão dela” (Gn.17:16).

 

Para se cumprir a promessa Sara, deve ser mãe (vs.15-16) e assim como Abraão, ela também vai dar à luz reis de povos” (BRUCE, 2008 p.175). “E a abençoarei”, a bênção dirigida a Sara pode ser interpretada na abertura de sua madre, especialmente por torná-la fértil uma vez que era estéril (Gn.11:30).

 

O riso dos futuros pais

 

Ser mãe para Sara seria um milagre: Então caiu Abraão sobre o seu rosto, e riu-se, e disse no seu coração: A um homem de cem anos há de nascer um filho? E dará à luz Sara da idade de noventa anos? (Gn.17:17). “Abraão... riu-se” (v.17), o patriarca provavelmente riu de espanto, ele simplesmente estava atônito depois de tantos anos sem poder gerar um filho de sua amada esposa Sara. Aqui não se insinua que houvesse incredulidade de sua parte, mas antes, vê-se a evidência do espanto e da grande alegria que se apoderou do patriarca. Abraão não tinha capacidade de compreender esse aviso tão pasmoso” (MOODY, 1994, p.56).

 

Encontramos ainda em Gênesis outras duas ocasiões como essa envolvendo a matriarca: Sara rindo diante da ideia de ter um filho na velhice de uma mulher estéril: Assim, pois, riu-se Sara consigo, dizendo: Terei ainda deleite depois de haver envelhecido, sendo também, o meu senhor já velho? (Gn.18:12), Sara riu demonstrando um coração duvidoso o que seria normal para qualquer um em sua condição.

 

Mas depois também riu com um coração cheio de gratidão com seu filho Isaque em seus braços: E disse Sara: Deus me tem feito riso; todo aquele que o ouvir se rirá comigo. 7. Disse mais: Quem diria a Abraão que Sara daria de mamar a filhos? Pois lhe dei um filho na sua velhice (Gn.21:6-7), e outras pessoas riram de alegria com a chegada do filho. Não é à toa que o nome que foi dado ao menino foi Isaque – ([Deus] ele ri ou riso).


Essa foi a história da mãe da promessa – a matriarca Sara.

Qual é a promessa de Deus para você querida mamãe?

Que Deus seja louvado pelo dom de ser mãe.

 _____________________________________________

Pr. Alexandre Dutra

Diretor dos Amigos de Sião,

Bacharel e Mestre em Teologia

Mestre em Letras - Estudos Judaicos (USP)

Doutorando em Ministério Pastoral

Commentaires


bottom of page