top of page

Um homem da palavra

Em memória do Pr. Ricardo Mateus (1935-2024).

 

“Agradeço ao Senhor pelos homens de Deus que serviram a Jesus sem buscar reconhecimento entre homens.

Aliás, a nossa história é feita de homens que se esforçaram no lema ‘que Ele cresça’ ..."

(Pr. Timóteo Franklin, missionário ABWE e professor no SIBB, Natal/RN)


Richard Varney Matheus, mais conhecido como Pr. Ricardo, nasceu em 28 de novembro de 1935, na cidade de Maranguape no Ceará e partiu para estar na glória com o Senhor no dia 30 de maio de 2024, em Rockingham, Carolina do Norte, Estados Unidos. Ele deixou entre nós a sua amada esposa D. Joyce, quatro filhos, dez netos e dez bisnetos.

 

Um berço missionário

 

Pr. Ricardo era filho do casal Carlos e Adelaide Mateus, pioneiros pelo movimento batista regular no Brasil, aonde chegaram em 1932 e plantaram a primeira igreja em 1939 na cidade de São José de Mipibú, no Rio Grande do Norte. Em solo potiguar os pais de Ricardo foram fundamentais na plantação de diversas igrejas locais, na fundação de um seminário teológico (o Seminário e Instituto Batista Bereiano - SIBB), um acampamento (Elim, nO Lago do Bonfim) e a Associação de Igrejas Batistas Regulares do RN - AIBRERN).

 

Crescendo ouvindo o Evangelho e vendo a dedicação dos pais ao Senhor, aos 17 anos, Ricardo reconheceu que era um pecador, que precisava de um Salvador e então recebeu o dom gratuito da salvação oferecido por meio do sacrifício de Jesus Cristo. Ainda jovem, na companhia dos pais e depois com outros cooperadores, começou a trabalhar no ministério pastoral, na plantação de igrejas e no ensino teológico no seminário.



Em 3 de junho de 1958, Richard casou-se com sua namorada, Joyce McDonald Matthews. Com quem serviu fielmente a Deus como missionários em Natal, Brasil, por 50 anos.

 

Um evangelista

 

Frequentemente anunciava o Evangelho em conversas pessoais com descrentes, bem como no púlpito, além de explicar detalhadamente a mensagem das boas novas da salvação em suas aulas no SIBB. A esperança da glória eterna com Cristo sempre saia da sua boca com alegria e bastante convicção; já a doutrina bíblica acerca do inferno era assunto tratado com compaixão pelos perdidos. Em uma de suas aulas, certa vez, ensinou: "Quando pregar sobre o céu, pregue com alegria, porém, quando for pregar sobre o inferno, pregue com lágrimas nos olhos, se compadecendo das almas perdidas" (anotação do ex-aluno, João Paulo da Silva).


Sua filha Carla Dotson lembra que ele aproveitava bastante as oportunidades para falar da mensagem da cruz para a salvação somente em Cristo, muitas vezes usando o relato pessoal sobre a sua cidadania tríplice. “Meu pai compartilhou o evangelho com todos que conheceu.  Ele usou a história sobre ter três cidadanias para evangelismo.  Primeiro ele dizia que era brasileiro por ter nascido no Brasil.  Em segundo lugar, que era americano por ter pais americanos. Em terceiro lugar, afirmava que tinha uma cidadania celestial porque Jesus disse: ‘Você deve nascer de novo’”.

 

Um dos frutos do evangelismo do Pr Ricardo, guarda no coração grande gratidão a Deus pela vida deste servo. “Conheci o Pr Ricardo e a D. Joyce em meados de 1994, quando a igreja do Pajuçara ainda era um pequeno ponto de congregação. Poderia falar muitas coisas do meu ‘pai na fé’. Seu jeito simples e claro de falar do amor de Jesus, seu zelo com as coisas do Pai celeste, sua vida coerente de eleito de Deus, cidadão do céu, que proclamava a salvação de Jesus aqui na terra”, Dalvirene B. S. de Sales.

 

Quatro igrejas em Natal, capital no Rio Grande do Norte, foram plantadas pelo ministério que Deus confiou às mãos do pastor Ricardo: cidade da Esperança, 1970; no conjunto Santa Catarina, 1980; no bairro Pajuçara, 1988; do conjunto Brasil Novo, no Alto, 2008.

 

Um defensor da sã doutrina 


Era um teólogo que cultivava um zelo exemplar pela sã doutrina, tratando-a como um tesouro de inestimável valor confiado a nós por Deus. Sua disciplina na leitura bíblica diária é um puxão de orelha para todos nós. Desde os 17 anos de idade, Ricardo lia diariamente um capítulo de Provérbios. Costumava dizer que o livro de Provérbios já havia lhe ajudado a resolver muitos problemas e lhe livrara de tantos outros.

 

Centrado na suficiência das Escrituras para salvar pecadores e transformá-los progressivamente à imagem de Jesus Cristo, pastor Ricardo tinha sempre em mente que é o poder de Deus, pela Palavra de Deus, que realiza a obra de Deus. “Louvo a Deus por seu legado de amor a sã doutrina e suas exposições em Romanos, o livro das Escrituras que ele que mais amava”, relembra Pr Pedro Quintiliano.

 

Um pastor mestre

 

Ricardo tinha um coração de pastor e uma mente de professor. Aprofundou-se nos estudos teológicos, inclusive no conhecimento das línguas bíblicas, sem se afastar do interesse pessoal e pastoral pelas vidas que Deus estava resgatando pelo Evangelho da graça.


O Pr. Rubens Eduardo, seu ex-aluno que se tornou o primeiro sucessor de Ricardo no ensino de grego no SIBB, testemunha que através de sua simplicidade e profunda piedade, aprendeu que a teologia não é uma ciência destinada apenas a preencher nossas mentes, mas uma ferramenta para aquecer espiritualmente o coração. “Esse aprendizado veio de alguém que, ao falar de teologia, tinha a capacidade de resumir conceitos complexos em sentenças simples, extraindo delas lições práticas e princípios eternos”.

 

Pr. Ricardo fez seus estudos acadêmicos nos Estados Unidos, concluindo um curso bacharel em Teologia e Educação pelo Columbia Bible College na Carolina do Sul e um mestrado em Divindade pelo Grace Seminary em Winona Lake, IN, em 1961. Durante os 1983-1986 e 2005-2009 foi diretor do Seminário e Instituto Batista Bereiano, em Natal-RN, onde ao longo de décadas, ensinou várias matérias, dentre as quais: Romanos, Gálatas, Levítico-Hebreus, Daniel-Apocalipse, Grego I até V e Teologia Sistemática I a IV.


O atual presidente da AIBRERN, o Pr. Robério Olinto, considera um privilégio ter sido aluno do Pr. Ricardo, em “Análise da carta aos Romanos” e diz ser grato a Deus pela incansável contribuição daquele servo do Senhor na plantação de igrejas no campo potiguar e no ensino teológico, inspirando gerações.

 

Era um pregador e professor admiravelmente habilidoso em assuntos teológicos. Sobre essa característica, Pr. Tenório Rocha afirma: “foi um dos maiores teólogos que a gente viu aqui no campo do Rio Grande do Norte”. Pr. Randy Cook, missionário pela ABWE e ex-professor do SIBB, diz que foi um “grande privilégio trabalhar lado a lado com Pr. Ricardo durante 10 anos no Seminário Bereiano. Um homem de Deus, que aprendi a respeitar pelo seu ministério e a sua teologia profunda. Dou graças a Deus pelo trabalho duradouro que ele fez no Nordeste”.

 

Podemos dizer que a estatura e a profundidade teológica do Pr. Ricardo Mateus foram reconhecidas a nível nacional pelo fato dele compor um seletivo grupo de colaboradores que elaboraram a obra chamada “Os distintivos dos batistas regulares”. Nesse livro, os autores produziram um material que sistematiza e representa o movimento de modo geral, nos aspectos doutrinários e práticos, oferecendo assim um perfil da identidade teológica dos batistas regulares.

 

Certamente o seu amor pela Palavra de Deus continuará a crescer através da vida daqueles que ele pastoreou e ensinou.

 

Um pastor de pastores

 

Ricardo Mateus era bastante procurado pelos pastores, que buscavam seus conselhos, principalmente para resolução de conflitos no meio da congregação que pastoreavam e encorajamento para prosseguirem no serviço do Senhor, em meio a tantas batalhas.



No meu terceiro ano de seminário, por alguns motivos tomei a decisão de sair do seminário, ele soube e me chamou no escritório dele e me disse: Meu filho, você já viu um pingo d'água ficar nas costas de um Pato? Alguns problemas temos que deixar escorrer, vá pra seu quarto. (Pr Paulo Fernando)

 

Seu compromisso em agradar ao Senhor, mais do que a homens, fazia dele um líder corajoso, com compromisso incondicional a Deus, a despeito das consequências e a qualquer preço.

 

Tantas coisas ele me ensinou que se eu fosse enumerar! Mas uma vez estava sofrendo diante de uma situação, que não tinha certeza da causa, mas o que imaginava ser. Nunca esqueci o que ele me disse quando compartilhei com ele: ‘Irmão, julgue palavras e ações, e não pensamentos’. Outra vez, Pr Ricardo me aconselhou: ‘Engrosse o couro, mas não endureça o coração’. (Pr. Erinaldo Costa)

 

"Meu filho, precisamos sempre falar a verdade! Mas, tem de ter cuidado com o jeito da boca. Não adianta falar a verdade de modo errado". "Meu filho, pregue sempre a Bíblia! No dia em que a igreja não quiser mais ouvir a Bíblia, não há razão para você ficar lá. Pegue o beco!", são frases pronunciadas pelo Pr. Ricardo, que o Pr. Carlos Jr. diz levar consigo até hoje e que moldam seu caráter e sua minha prática ministerial.

A vida e ministério do pastor e professor Ricardo Mateus impactou muitas vidas para Cristo. “Ele vivia o que pregava, coerente em tudo. Aprendi muito com ele. Grande privilégio o Senhor me deu, ter sido seu aluno”, diz o Pr. Sebastião Emanuel.

 

Lembro da oportunidade que ele me deu de estudar no seminário através de uma bolsa de estudos integral em troca de um serviço prestado ao seminário, a elaboração de um sistema acadêmico...Lembro que ele me incentivava bastante a estudar o grego, hebraico e se possível o latim. (Pr Eliakim Aquino)

 

Era um homem que “batalhava diligentemente, pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos” (Jd 3). Francisco Ádamo da Rocha, pastor em Mossoró/RN, tem gravado na memória, um episódio marcante:

 

Quando ele me chamou em um local e me disse algo mais ou menos assim: Meu filho, pregue a Palavra! Não importa o que acontecer, pregue a Palavra! Se a igreja não estiver bem e decidir não seguir as suas orientações, continue pregando a Palavra! Mesmo que ninguém mais faça, pregue a Palavra!

 

Pr. Addson Costa, atribui ao ministério de Ricardo tudo que de mais importante aconteceu em sua vida. “Com ele, aprendi praticamente tudo o que hoje sei como pastor.  Aprendi a ser crente e a ser gente. Aprendi a lidar com pessoas. Aprendi a liderar os jovens. Aprendi sobre a Bíblia. Aprendi grego. Aprendi teologia. Aprendi sobre a Igreja. Aprendi a lidar com a igreja. Aprendi a ensinar a Palavra de Deus. E tudo o mais que não aprendi, deu-se pela debilidade deste que vos escreve”. 


Outra vida profundamente impactada pelo testemunho cristão do Pr. Ricardo, foi seu amigo pessoal o Pr. Almir Cocentino Júnior, diretor do SIBB. “Seu legado, para minha vida em particular, é imensurável. Posso citar diversas razões, entre elas: a sua vida de oração, sua visão ministerial e espiritual, sua defesa em favor da fé, sua dedicação no preparo de obreiros para a seara, seu amor ao nosso Salvador e Sua obra, e seu anseio pelo lar celestial, ficarão gravados em minha memória e de muitos outros servos. Ele foi e será um grande exemplo para minha vida. Nosso tempo em sala de aula no SIBB (onde dedicou maior parte de sua vida missionária/ministerial), nossas longas conversas e orações juntos foram momentos de aprendizado e grande comunhão espiritual”.

 

Sua última mensagem pregada no Brasil foi na noite de 07 de março do ano 2020, durante as celebrações dos 70 anos do SIBB. Na ocasião, ele pregou sobre a razão da existência de um seminário, explicando várias passagens bíblicas que mostram como a igreja precisa do ensino que equipa os crentes para melhor servir ao Senhor.

           

Subindo até o local do púlpito com ajuda do Pr. Almir Cocentino e apoiando-se em uma bengala, ele logo comentou: “Foi uma longa viagem que Deus permitir estar convosco. Agora só volto no Milênio. E depois, voltarei novamente, no Novo Céu e Nova Terra”. Com bom humor, acrescentou: “Tô velho, já vi muita coisa... Faz tempo que eu já estou pronto. Tenho um treme-treme medonho, mas graças a Deus estou aqui”.

 

“Ele estava cercado por entes queridos e seus últimos dias nesta terra foram repletos de Escrituras e de muitos hinos queridos! Ricardo era conhecido por seu amor por Jesus, sua família, o Brasil e os cavalos”, registrou os familiares.



Ricardo Mateus, um homem da Palavra, não está mais entre nós, o que entristece o nosso coração. Mas ele está com Cristo, na glória celestial, o que é incomparavelmente melhor.

 

Pr. Charles Nascimento

Pastor na IBR Central de Mossoró/RN.

Graduado em História (UERN) e Mestre em Exposição Bíblica (LOGOS).

Autor do livro “Esperança no sertão – uma biografia de Carlos Mateus”.

 

1 comentário

1 Comment


Guest
Jun 15

Linda exposição da vida de um homem dedicado ao serviço de Deus. Muito inspiradora.

Like
bottom of page