top of page

Buscando a excelência na pregação

MACARTHUR, John. Pregação - como pregar biblicamente.

CE: Editora Peregrino, 2018, 428p (Resenha)

 

Quando nos deparamos com o nome “Pr John MacArthur”, várias qualidades espirituais de um cristão fiel a Deus nos vêm à mente, dentre elas, o amor pelas Sagradas Escrituras. Mundialmente conhecido pelo seu zelo na exposição bíblica, Dr MacArthur tem sido grandemente usado por Deus como referência para aspirantes e também os já experientes pregadores expositivos.

 

O que poderíamos esperar de uma obra escrita que reunisse textos do próprio MacArthur, com a contribuição de um seleto grupo de professores do seminário que ele preside (The Master’s Seminary), respondendo à pergunta “Como pregar biblicamente?”. A resposta nos é dada através da leitura valorosa de “Pregação – como pregar biblicamente”, um volume que “tem por objetivo motivar e equipar esta geração e as próximas gerações de líderes cristãos, para oferecerem ao povo de Deus uma nutrição espiritual completa na Palavra de Deus” (p.8).

 



Através de dezenove capítulos, temos instrução teórica e exemplificação bastante prática para o exercício da pregação expositiva com esmero, numa leitura que nos conduz a alcançar um perfil de alguém que “maneja bem a Palavra da verdade” (II Tm. 2:15). Antes mesmo de esmiuçar a arte e a técnica da pregação expositiva (PE) em si, a primeira parte do livro, intitulada Demonstrando a prioridade da Pregação Expositiva, dedica-se a oferecer uma base conceitual e um panorama histórico da prática da PE, em três capítulos (Redescobrindo a Pregação Expositiva, O Mandato da infalibilidade bíblica: pregação expositiva e A História da pregação expositiva).

 

No segundo capítulo desse bloco, MacArthur apresenta uma esclarecedora definição de PE, a saber, “pregar em um modo que o significado da passagem bíblica é apresentado inteira e exatamente como intencionado por Deus” (p. 44). Realçando o valor do conhecimento história da PE, James F. Stitzinger, ressaltou (cap. 3): os homens que se devotaram ao labor da exposição das Escrituras são, ao mesmo tempo, encorajados e desafiados por causa dos resultados profundos de seus ministérios (p. 56).

 

A segunda parte da obra, é uma demonstração concreta do quanto MacArthur e consequentemente o seminário The Master’s Seminary tem como algo de grande relevância a vida do pregador para a prática eficaz da PE. Nesse sentido, diferentemente de muitos livros de homilética, nessa obra, o leitor é confrontado e orientado biblicamente quanto à necessidade de não somente saber pregar expositivamente, mas buscar manter uma vida piedosa.

 

Em Preparando o Expositor, lemos os capítulos A Prioridade da oração e da pregação expositiva, O homem de Deus e a Pregação Expositiva e O Espírito de Deus e a Pregação Expositiva. Ao relatar o valor da oração na vida do pregador e sua preparação como expositor das Escrituras, James E. Rosscup, afirma que pregadores que seguem o modelo bíblico levam muito a sério a oração. Na preparação do sermão, eles dedicam muito de seu tempo à oração (p. 82). O autor desse capítulo sobre oração, nos estimula descrevendo a disciplina de oração para pregar, de nomes tais como E.M. Bounds, H.A. Ironside, Charles Spurgeon, John Stott etc.

 

Em O homem de Deus e a pregação expositiva, MacArthur lembra aos leitores que “por trás do conteúdo da mensagem expositiva está o caráter do expositor” (p.105). Nesse contexto, através de uma exposição de I Tm. 6:11-14, John MacArthur destaca quatro características de um homem de Deus. O último capítulo dessa parte II, também é de autoria do presidente do The Master’s. Aqui, temos as definições e distinções precisas dos conceitos bíblicos de iluminação, revelação e inspiração.

 

Hermenêutica, exegese, análise gramatical, ferramentas e métodos de estudo visando a PE, são objetos da terceira parte, nomeada Processando e reconhecendo os princípios do texto bíblico. James E. Rosscup, professor de exposição bíblica no The Master’s, assina o capítulo sobre Hermenêutica, descrevendo os princípios fundamentais da interpretação do texto bíblico ao elencar uma séria de axiomas hermenêuticos cruciais para um ministério fiel na Palavra de Deus. Robert L. Thomas, professor do Novo Testamento, com base em mais de quarenta anos de ensino em exegese bíblica, oferece uma rica lista de dicas e orientações práticas para ajudar os pregadores expositivos. Dr Thomas salienta, que “uma preocupação maior a observar é não pregar dados exegéticos no púlpito... O ministro da Palavra deve desenvolver uma técnica de transmissão de tudo que tem aprendido em linguagem especializada, numa linguagem acessível ao leigo” (p. 166).

 

A relação entre a análise gramatical e a PE, tem um capítulo com uma metodologia para a exposição do texto bíblico e uma série de exemplos, em diagramas e esboços de vários trechos das Escrituras, feitos pelo próprio autor do capítulo, o Dr. George Zemek. Na introdução do seu texto, Dr. Zemek enfatiza que “se as pessoas precisam ser graciosa e maravilhosamente transformadas, os pregadores devem oferecê-las sermões que expõem as palavras da Palavra” (p. 177).

 

Se quisermos desenvolver um ministério de pregação expositiva das Escrituras, temos de investir, organizar, expandir e usar eficazmente boas ferramentas de estudo bíblico. Essa é a tônica do capítulo de James F. Stitzinger, que oferece aos leitores uma abrangente e valorosa lista de livros e categorias que devem fazer parte da biblioteca do pregador expositivo.

 

Encerrando a parte III, John MacArthur define e exemplifica o uso dos três princípios básicos para o estudo bíblico (observação, interpretação e aplicação), concluindo que a pregação expositiva pode ser resumida em três palavras chaves: indutiva, exegética e expositiva.

 

Na penúltima parte do livro, temos cinco capítulos analisando os elementos da mensagem expositiva (ideias centrais, esboços, títulos, introdução, ilustrações, conclusões) e as regras fundamentais para pregar mensagens temáticas, históricas, biográficas ou em narrativas do Antigo Testamento.

 

A quinta e última parte, Pregando a exposição, traz uma rica análise das diversas traduções bíblicas disponíveis (principalmente no contexto dos EUA), sugerindo as mais apropriadas para a tarefa da PE. Também nessa seção final, além de um interessante capítulo com perguntas e respostas acerca da pregação expositiva (frequentemente direcionadas e respondidas por John MacArhur em conferências e aulas no The Master’s Seminary) temos mais um capítulo de MacArthur (Transmitindo a exposição), no qual esse pregador habilidoso, descreve para nós “os bastidores” de sua semana pessoal de estudo bíblico para pregação de dois sermões expositivos em média, aos domingos. É altamente instrutivo e estimulante ler um pouco da metodologia e referências que MacArthur tem no seu prolífero ministério de pregação expositiva.   

 

Esse livro não oferece (nem se propõe a isso) uma discussão e instrução exaustiva dos diversos gêneros literários da Bíblia e suas regras hermenêuticas, exegéticas e aplicativas apropriadas para pregar expositivamente. No entanto, não deixa a desejar ao que se propõe de fato, que é, esboçar quatro fases principais que seguem a progressão real da experiência da pregação, a saber: a) a piedade do homem que se propõe a estudar a Palavra de Deus; b) a habilidade do homem piedoso para estudar a Escritura exegeticamente; c) a habilidade do homem piedoso em condensar todas as ferramentas de estudo em formato de mensagem fiel ao texto, aplicando de modo relevante a Escritura à sua própria geração e d) a dinâmica do homem piedoso na proclamação de sua exposição de maneira espiritualmente convincente e impelidora (p. 10).

 

Ao final da leitura, me senti com muito apetite insaciável pelo estudo bíblico visando a prática constante da pregação expositiva, ciente que esse fazer tem que estar sempre casado com um viver piedoso, ou seja, não abandonar meu compromisso de uma vida que agrade a Deus, de maneira que ao pregar zelosamente as Escrituras, minha vida seja uma demonstração de zelo em amor e obediência ao Senhor.

 

____________________________________________________

Pr. Charles Nascimento

Pastor na IBR Central de Mossoró/RN

Graduado em História (UERN) e Mestre em Exposição bíblica (LOGOS)

Autor dos livros: “Esperança no sertão - uma biografia de Carlos Mateus”

 “O uso da imaginação na pregação”.

 

Comentarios


bottom of page