top of page

Construtores de Muros

Estabelecendo fundamentos sólidos


Nesta série “Construtores de Muros”, dissemos que evangelizar as crianças, e ganhá-las ainda pequeninas para Jesus Cristo, assemelha-se ao trabalho de construir um muro para evitar que elas caiam no abismo de uma vida pecaminosa e inútil. Bendito seja Deus por despertar pessoas para tão nobre tarefa!

 

No texto anterior, observamos a vida de Neemias. Vendo o estado de ruína em que se encontravam os muros de Jerusalém após o cativeiro babilônico, Neemias chorou, jejuou, orou e agiu com sabedoria, firmeza, disposição, perseverança e plena confiança no Senhor e na Sua Palavra. E qual foi o resultado? Os muros foram levantados.

 

Surge, então, a pergunta inquietante: Você teria visão e disposição para ser como Neemias?

·         Teria visão do estado de abandono, de negligência e de desinteresse quanto ao ensino da nova geração nos princípios da Palavra de Deus?

·         Teria disposição para agir na evangelização e discipulado das crianças e, assim, construir o muro de proteção para que não surja uma nova geração rebelde?


QUEM SE PREOCUPARÁ COM A EVANGELIZAÇÃO E O DISCIPULADO DAS CRIANÇAS...

 

·         Que têm o privilégio de pertencer a uma família cristã?

·         Que têm a oportunidade de participar de atividades numa igreja onde a Palavra de Deus é amada, obedecida e ensinada?

·         Que, embora vivam em localidades consideradas “cristãs”, estão totalmente alheias às realidades do evangelho, por não ter familiares que conheçam a Jesus, e por não ter acesso à verdade das Escrituras, mesmo que existam igrejas ao seu redor?

·         Que vivem em localidades............

Acesse o blog onde se encontra este estudo completo e também os anteriores.

 

·         Onde a Bíblia é completamente desconhecida e a religião predominante é hostil à mensagem do Evangelho de Cristo?

 

Quem se preocupará com a evangelização e o discipulado das crianças, buscando alcançá-las, com dedicação, responsabilidade e seriedade, por meio de múltiplos ministérios, confiando e esperando que as crianças salvas possam causar um impacto vital na evangelização mundial?

 

NÃO HÁ MAIS TEMPO A PERDER…

·         Com discussões tolas e inúteis como, por exemplo, sobre se uma criança tem idade ou não para entender a mensagem do evangelho. Este tipo de discussão não leva a nada. A cada década que passa, observamos que as crianças precisam ser evangelizadas e discipuladas em idades cada vez mais tenras.

·         Com programações fúteis, que têm como objetivo simplesmente entreter as crianças e que, afinal, fazendo uma avaliação sincera, não ensinam nada de relevante às crianças.

·         Com “inho-inhos”, ou seja, com programações em que se subestima a capacidade de compreensão das crianças. São apenas historinhas, musiquinhas, fantochinhos, palhacinhos, brinquedinhos, filminhos, desenhinhos, lanchinhos, suquinhos, “inho-inhos”. Nada contra usar todo e qualquer recurso, desde que ajude a criança a, de fato, compreender o evangelho e aprender algo novo que a faça crescer na vida cristã. O problema é que, infelizmente, isso quase não acontece. Prevalece o entretenimento apenas.

·         Com programações nas quais os ensinadores raciocinam que, se usarem roupas coloridas e extravagantes, poderão ser mais eficazes na evangelização e no ensino da Palavra. Não percebem que estão associando o ensino da verdade de Deus ao uso de uma vestimenta divertida ou a um comportamento exótico. De onde veio esta ideia e este costume, que vai sendo mais e mais adotado?

 

Precisamos agir “enquanto é dia” (João 9.4). Se não construirmos os muros, as crianças entrarão num caminho de rebelião. É urgente que surjam os Neemias! Torne-se um Neemias, um construtor de muros! Empenhe-se para que a próxima geração não seja uma geração rebelde. Empenhe-se para que a próxima geração coloque em Deus a sua confiança.


COMO ESTABELECER OS FUNDAMENTOS?

·         Evangelizando as crianças, levando-as a crer e a receber o Senhor Jesus Cristo, que “morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, e que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras” (1 Coríntios 15.3, 4).

·         Discipulando as crianças na sã doutrina da Palavra de Deus. “Portanto, abandonem toda maldade, todo engano, hipocrisia e inveja, bem como todo tipo de maledicência. Como crianças recém-nascidas, desejem o genuíno leite espiritual, para que, por ele, lhes seja dado crescimento para a salvação, se é que vocês já têm a experiência de que o Senhor é bondoso” (1 Pedro 2.1-3). 

·         Encaminhando as crianças a uma igreja evangélica saudável, para que possam crescer em sua vida cristã. “Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo” (2 Pedro 3.18).

 

Torne-se um Neemias preocupado com as crianças de todo o mundo, da sua cidade, do seu bairro, da sua rua, do seu prédio e da sua casa. Construa os muros que impedirão as crianças de se tornarem uma geração rebelde amanhã.

 

É sempre importante repetir que, ganhando uma criança para Cristo, ganhamos uma vida inteira para o serviço do Senhor! Por isso, evangelizemos hoje os homens e as mulheres de amanhã, aqueles de quem se dirá: “desde a infância, você conhece as sagradas letras, que podem torná-lo sábio para a salvação pela fé em Cristo Jesus” (2 Timóteo 3.15).

 

O que acontecerá com a presente geração vai depender da nossa atitude com os pequeninos hoje. Contaremos ou encobriremos os fatos sobre o Senhor, sobre Seu poder e sobre Suas Maravilhas?

 

O salmista Asafe, no Salmo 78, foi o porta-voz do Senhor para deixar claro que o plano de Deus é que as crianças, a nova geração, coloquem nEle a sua confiança e não venham a se tornar uma geração adúltera, rebelde e de coração inconstante.

 

Senhor, ajude-nos a chorar, vendo o estado de ruína em que se encontram as nossas crianças, e impele-nos a jejuar, a orar e a agir, confiando no Senhor, como fez Neemias, para que estabeleçamos fundamentos sólidos para os nossos pequeninos.

 

______________________________________________

Pr. Gilberto Celeti

Missionário da APEC, professor, palestrante e escritor

 

 

 

 

Comments


bottom of page