top of page

Elogios também são Provações

"Como o crisol prova a prata e o forno prova o ouro, assim o homem é provado pelos elogios que recebe."

(Provérbios 27.21)

 

Durante mais de 40 anos de vida serviço público (iniciei muito novo), tive a oportunidade de exercer alguns cargos de direção dentro e fora do meu órgão de origem. Fui de office boy a Subsecretário de Estado e observei alguns "poderosos" exercendo o poder na administração pública e buscando bajulação.

 

O sábio Salomão nos alerta para que tenhamos muito cuidado com o "poder", pois quando estamos nele, somos elogiados a todo momento em razão de várias interesses pessoais. Entretanto, o elogio tem o poder de mostrar a virtude, ou então revelar a vaidade de uma pessoa, conforme ela se ensoberbece ou se mantém humilde. Por outro lado, o verdadeiro cristão, transfere o louvor de si mesmo para Deus.

 

Há diversos perigos quando outros nos elogiam. Por isso, nessa situação devemos considerar:

 

1. Lisonjas X Elogios Sinceros.

 

Muitas pessoas usam elogios falsos para prejudicar os outros. Inclusive, pessoas lisonjeiam para seduzir (Provérbios 2.16; 6.24; 7.5-21).

O sábio bíblico adverte: “A língua falsa aborrece a quem feriu, e a boca lisonjeira é causa de ruína” (Provérbios 26.28).

 

O apóstolo Judas fala sobre “aduladores dos outros, por motivos interesseiros”: "Essas pessoas vivem se queixando e são descontentes com a sua sorte, seguem os seus próprios desejos impuros; são cheias de si e adulam os outros por interesse." (Judas 16).

 

Paulo não usava “linguagem de bajulação”, pois há diversos perigos, especialmente quando outros nos elogiam.

 

Consideremos: 1. Lisonjas X Elogios Sinceros.

 

Muitas pessoas usam elogios falsos para prejudicar os outros e até pessoas lisonjeiam para seduzir. (Provérbios 2.16; 6.24; 7.5,21). “A língua falsa aborrece a quem feriu, e a boca lisonjeira é causa de ruína” (Provérbios 26.28).

 

O apóstolo Judas fala sobre “aduladores dos outros, por motivos interesseiros” (Judas 16).

 

O apóstolo Paulo jamais usou “linguagem de bajulação”. Certa vez ele disse:

"Vocês bem sabem que a nossa palavra nunca foi de bajulação nem de pretexto para ganância; Deus é testemunha." (1 Tessalonicenses 2.5).

 

2. Perigo de Ensoberbecer.

 

Mesmo quando os elogios são sinceros, podem ser "pedras de tropeço", pois o problema não está tanto no ato de dar o elogio, e sim na maneira que o recebemos.

 

Sobre isso, o apóstolo Paulo nos adverte: “Não pense de si mesmo além do que convém” (Romanos 12.3). E também afirmou: “Jamais andamos buscando glória de homens” (1 Tessalonicenses 2.6).

 

3. Tomar a Glória Devida a Deus.

 

Se buscarmos glória, acabamos tomando a honra que Deus merece. Toda a honra, louvor e glória pertencem a Deus, e o fruto do servo do Senhor é para a glória dEle (Filipenses 1.11).

 

Note que até os servos vitoriosos no céu não guardam a glória para si, mas depositam “as suas coroas diante do trono” (Apocalipse 4.10). Devemos fazer “tudo para a glória de Deus” (1 Coríntios 10:31) e “A Ele, pois, a glória eternamente” (Romanos 11:36).

 

Temos que entender que, os Provérbios (de Salomão) servem para podermos entender a sabedoria e o caminho da vida de forma clara e mais objetiva. Eles nos ensina a caminhar com menos erros, de uma forma mais leve e mais prática. Provérbios não é nenhum livro de auto-ajuda, nem receita de bolo testada. É uma verdade Bíblica experimentada pelo próprio autor e que dando certo em sua vida as escreveu, e tem dado certo na vida de quem tem lutado para colocar suas palavras em prática.

 

Muitos dos Provérbios de Salomão são tão atuais, que me sinto alimentado para caminhar no dia-a-dia, sem cair nas armadilhas do meu coração. É o caso dos que foram citados neste texto! Os Provérbios bíblicos nos ajudam a entender porque devemos ter disciplina, sabedoria e buscar viver a vida de forma a glorificar o nome de Deus e deixar boas marcas para a nossa próxima geração.

 

Note que a bajulação e os elogios muitas vezes são usados para nos testar e ensinar. Por outro lado, muitas vezes a nossa fé é provada para que nós sejamos refinados, para que tenhamos uma fé mais firme e um coração mais voltado para Deus.

 

As provações não se restringem apenas nas dificuldades, muitas vezes somos provados pela fartura, dias tranquilos, inexistência de problemas e poder. Deus jamais nos prova ou permite uma provação para ver a nossa falha, para que sejamos humilhados ou algo do tipo. Aliás, o apóstolo Paulo afirma que: "Não sobreveio a vocês tentação que não fosse comum aos homens. E Deus é fiel; Ele não permitirá que vocês sejam tentados além do que podem suportar. Mas, quando forem tentados, Ele mesmo providenciará um escape, para que o possam suportar." (1 Coríntios 10.13)

 

Quando somos provados, temos a oportunidade de crescer diante de Deus. O apóstolo Pedro sabia tanto disso, que escreveu o seguinte: “Para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória, na revelação de Jesus Cristo;” (1 Pedro 1:7)

 

O apóstolo Tiago expande o ensinamento e diz: "Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações, pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança. E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma. Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida. Peça-a, porém, com fé, sem duvidar, pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, levada e agitada pelo vento. Não pense tal homem que receberá coisa alguma do Senhor; e alguém que tem mente dividida e é instável em tudo o que faz”. (Tiago 1.2-8). Então, sejamos sábios aos olhos de Deus, sabendo que devemos somente a Ele toda honra, glória e louvor.

 

Por fim, não devemos nos deixar levar pela natureza humanista, a qual coloca a pessoa no centro de tudo, pelo contrário, sejamos cristocêntricos, pois quando colocamos Cristo no centro do nosso viver, saberemos agir em quaisquer circunstâncias.

_____________________________________________________

Silvio da Costa Bringel Batista

Diácono, Professor da EBD e Membro do Conselho de Missões Igreja Batista em Dom Pedro - Manaus - Amazonas.

Procurador da Câmara Municipal de Manaus; Advogado;

Presidente da Comissão da Advocacia Pública e Membro da Comissão de Apoio à Gestão Pública da OAB/AM

Comentarios


bottom of page