top of page

Eternidade Inversiva


No início era aquele que é a Palavra; Ele estava com Deus, e era Deus (João 1.1). Algum tempo depois Ele estava entre nós e em seguida numa cruz sendo crucificado. Mas, depois de três dias Jesus Cristo não era apenas um ponto no infinito; Ele era aquele que podia levar outros pontos para lá.


A cruz é a oportunidade para um novo ponto de partida, pois foi dela que surgiu o raio da salvação. No lugar da morte eterna, todos aqueles que conseguem ver esse raio conseguem ser arremessados para uma nova eternidade.


Não há como construirmos Deus, pois de eternidade em eternidade ele é (Salmos 90.2). Mas podemos desenhar o que representa a morte e a ressureição de Jesus. Depois do que foi consumado na cruz, a nossa distância até Deus passou a ser do tamanho de Jesus Cristo.


Precisa ser verdade em nossos corações que a cruz é a origem, o ponto de partida para esta eternidade. Que dessa origem há um raio que pode nos levar até Deus, e consequentemente para a eternidade. Somos aqueles pontos perdidos neste mundo, onde depois que Jesus Cristo nasce em nossos corações, nascemos de novo, e então passa existir em nós um centro de inversão. Um Espirito que poderá levar as nossas vontades para uma única direção.


Crer e confessar Jesus Cristo como nosso Senhor e suficiente Salvador não significa sermos intocáveis pelo pecado e todas as suas consequências, e não significa sermos perfeitos, mas significa ter a eternidade plantada em nossos corações a qual será regada por toda a vida por Deus através do Espírito Santo (o Espírito da Verdade) e um dia ela crescerá até o céu. E estaremos com Eles para sempre.


Da mesma forma como Moisés levantou a serpente no deserto, assim também o Filho do homem foi levantado, para que todo o que nele crer tenha a vida eterna. Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna (João 3.14,15,16).


Não apenas Adão e Eva, mas todos nós fomos enganados com as mentiras daquela serpente e a morte corre no sangue de todos que nascem nesse mundo. O único antídoto para isso é olharmos para Cruz e encontrarmos a verdade que nos conduzirá à eternidade; a cura para então permanecermos vivos para sempre.


O que aconteceu na cruz é que aquele que está em toda parte nos cercou com o seu amor, e neste círculo um dia todo joelho se dobrará e toda língua confessará que Ele é Deus (Romanos 14.11). Depois disso, a eternidade será com ou sem Ele.


A verdadeira esperança é que a eternidade é inversiva, e Jesus é aquele cujo inverso é ele mesmo, pois nele nunca houve qualquer tipo de maldade. É aquele raio que passa pelo centro de inversão ou ainda toda a circunferência de inversão; e todos os pontos, tanto internos quanto externos, só existem por causa dele. Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação, pois nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos ou soberanias, poderes ou autoridades; todas as coisas foram criadas por ele e para ele. Ele é antes de todas as coisas, e nele tudo subsiste (Colossenses 1.15-17).


Jesus é aquele que trocou de lugar comigo e com você. Deus fez cair sobre Ele as nossas iniquidades (Isaías 53.6). Ele morreu para nos salvar.


Há uma correspondência biunívoca entre esse mundo e a eternidade. Com Jesus Cristo em nós, o Eu imperfeito é associado a um inverso perfeito em algum lugar onde estaremos para sempre com o Pai. Um inverso que será para sempre transformado e glorificado em Cristo. Sem Jesus Cristo, um inverso que apenas refletirá nós mesmos, e bem distante Dele.


O inverso de todos os cristãos limitados e unidos nesta verdade é uma curva ilimitada na eternidade. O inverso daqueles que se acham ilimitados, que não crerem e não confessarem esta verdade, é o próprio Eu que estará para sempre com o pai das iniquidades.


O céu não é aqui, mas existe uma região celestial cujo inverso é uma cidade santa, que descerá do céu e será para sempre iluminada com a Glória de Deus. A nova Jerusalém - A nossa morada eterna. Mas os covardes, os incrédulos, os depravados, os assassinos, os que cometem imoralidade sexual, os que praticam feitiçaria, os idólatras e todos os mentirosos - o lugar deles será no lago de fogo que arde com enxofre. Esta é a segunda morte (Apocalipse 21.8).


Se você nasceu uma vez, então morrerá duas vezes. Se você nasceu duas vezes, então morrerá apenas uma vez (Steven Lawson). Em qual eternidade você deseja morar? Jesus disse que na casa de Deus existem muitas moradas. Na casa de Deus existe uma morada para você, mas para isso Jesus Cristo precisa antes morar em você.


Ele é aquele que vive; esteve morto mas agora está vivo para todo o sempre! Ele tem as chaves da morte e do Hades (Apocalipse 1.18). E Ele está voltando.


Pois, dada a ordem, com a voz do arcanjo e o ressoar da trombeta de Deus, o próprio Senhor descerá do céu, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois disso, os que estivermos vivos seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, para o encontro com o Senhor nos ares. E assim estaremos com o Senhor para sempre (1 Tessalonicenses 4.16-17).

Comments


bottom of page