top of page

Mulher como líder do homem, pode?

A libertação do povo de Israel de seus opressores descrita em Juízes capítulos 4 e 5 veio através de uma mulher chamada Jael, que matou um capitão do exército de Canaã chamado Sísera, cravando uma estaca de madeira em sua testa enquanto ele dormia. Nessa época o povo tornou a fazer o que era mau aos olhos do SENHOR” após o falecimento de Eúde”, o segundo juiz que governou Israel num período em que Israel era governado por juízes. O povo nessa época andava por “caminhos torcidos” (Juízes 5.6).


Deus também usou nessa época uma profetisa chamada Débora para julgar Israel. De acordo com o profeta Isaías, é uma vergonha para uma nação quando as mulheres governam (Isaías 3.12). Mas graças a Deus, Ele estava disposto a libertar Israel através das mulheres, quando os homens de Israel eram fracos e não queriam liderar. Por vezes, mulheres encontram-se forçadas a assumir uma posição de liderança espiritual em suas casas e até em suas igrejas e sociedade, por causa de homens fracos. Quando isso acontece, é sempre contrário ao desígnio de Deus (Isaías 3.12; I Coríntios 11.3; I Timóteo 2.12). Débora entendeu que era uma vergonha para um homem ser liderado por uma mulher quando disse a Baraque que, por causa de sua relutância em assumir a liderança, a glória da batalha não iria para ele. Ela profetizou que Deus envergonharia os homens de Israel, trazendo a libertação da nação através de uma mulher (Juízes 4:6-9). Isso nos faz entender que o propósito de Deus é que o homem ocupe o lugar de liderança e não a mulher, pois foi uma vergonha o fato de uma mulher (Débora) ter liderado Baraque, conforme vimos nessa passagem bíblica.


Toda mulher de Deus que lê essa passagem e que se encontra em posição de liderança, deve fazer como Débora, e permitir que Deus a use. No entanto, uma mulher de Deus quando está em posição de liderança deve dizer aos homens que Deus pretende com isso os humilhar pela liderança que ela terá diante deles, por causa da relutância deles em assumir a liderança, que segundo diz a Palavra de Deus, cabe aos homens. A liderança no lar, na igreja e na sociedade é algo designado por Deus aos homens e não às mulheres, conforme várias referências bíblicas devidamente contextualizadas.


Em outra passagem bíblica, vemos que devido ao pecado de desobediência de Eva, Deus disse que ela daria luz em meio à dores grandemente multiplicadas, e que o desejo dela seria para o seu marido, e ele dominaria sobre ela. (Gênesis 3.16). Essa foi a maldição de Deus dada a Eva por seu pecado de desobediência. Observemos também, que a Terra e toda a sua natureza (incluindo reinos vegetal e animal, meteorologia, geofísica, sismologia e climatologia do planeta e outras catástrofes da natureza), foi amaldiçoada por Deus pelo pecado de desobediência de Adão (Gênesis 3.17-19). Além da desobediência de ambos causar a expulsão deles do Jardim do Éden e de se tornarem seres mortais (Romanos 6.23), observamos que o pecado de Adão teve maiores consequências do que o pecado de Eva. Sabemos que o erro do líder sempre traz maiores consequências. Adão era o líder.


Homem e mulher são iguais perante Deus, mas com funções diferentes. Ao olharmos para 1 Pedro 3.1-7, onde o contexto é a vida da mulher no lar e na igreja, fica claro que Deus deu ao homem a liderança e não à mulher. Vejamos:

v.1 sede sujeitas aos vossos próprios maridos; ...” (mulher sob a liderança do homem)

v.4 a mulher de espírito manso e quieto, que é precioso diante de Deus.” (Mulher de espírito intrigante e inquieto desagrada a Deus).

v.5 “... as santas mulheres que esperavam em Deus, e estavam sujeitas aos vossos próprios maridos” (as santas mulheres que esperavam em Deus estavam sob a liderança do homem).

v.6 “Como Sara obedecia a Abraão, ...”. (A mulher sob a liderança do homem)

v.7 “... vós, maridos, coabitai com elas com entendimento, dando honra a mulher como vaso mais fraco; ...” (Os homens como líderes em seus lares têm que lidar com as esposas com entendimento, dando honra à mulher (atendendo as suas necessidades), como vaso mais fraco. A mulher é emocionalmente mais frágil que o homem, tem menor força física que o homem e biologicamente é diferente).


Cito Augusto Nicodemos, quando aborda dois dos principais motivos do Apóstolo Paulo quando disse em 1 Timóteo 2.12 e 13 que a mulher não pode ensinar ao homem e nem exercer autoridade sobre ele:


"1) O primeiro é baseado na forma como Deus criou o homem e a mulher, ou seja, o homem foi criado primeiro (v. 13). A sequência temporal para Paulo tem significado teológico e implicações práticas quanto ao ministério feminino na Igreja de Cristo. O fato de que o homem foi criado primeiro indica sua liderança sobre a mulher. E o fato de que a mulher foi criada em seguida, como auxiliadora, indica sua posição de submissão (cf. Gênesis 2). Para o apóstolo, se uma mulher ensina (prega) doutrina com autoridade sobre homens, está violando este princípio inerente à criação. É importante observar que Paulo enraíza sua proibição nas circunstâncias da criação, e não da queda, somente. Portanto, ele não considera estas restrições sobre as mulheres como sendo apenas resultado da queda (como alguns alegam), e portanto, também não espera que sejam removidas com a redenção que há em Cristo. 


2) O segundo motivo é fundamentado no fato de que não foi Adão, mas sim Eva, quem foi iludida por Satanás e desobedeceu a lei de Deus (v.14). Para alguns, Paulo está citando a maneira pela qual o primeiro casal caiu em pecado para mostrar que a mulher é mais crédula ao erro religioso, e mais susceptível de ser enganada por Satanás (cf. 2 Co 11.3); portanto, não deve ocupar funções de ensino doutrinário nas igrejas, para que não caiam em heresia, e induzam outros. Embora possa haver alguma verdade neste pensamento, é mais provável que Paulo esteja citando o incidente para mostrar o que ocorreu quando Eva tomou a liderança que havia sido dada a Adão. Uma leitura cuidadosa de Gênesis 3 mostra como a mulher entrou em diálogo com o tentador (Gn 3.1-5), e como, assumindo a liderança, tomou do fruto e deu-o a seu marido, levando-o ao pecado (3.6). As palavras do Senhor Deus ao homem, "porque atendeste a voz da tua mulher" (3.17), soam, assim, como uma repreensão por Adão ter aceitado a liderança da sua esposa na transgressão. E o castigo imposto por Deus à mulher, de que seria dominada pelo homem, encaixa-se com essa dimensão do pecado da mulher (3.16). Portanto, o que Paulo quer mostrar em 1 Timóteo 2.13, não é que o homem não peca, ou que não pode ser enganado por Satanás, mas sim, o que ocorre quando homem e mulher revertem os papéis que Deus lhes determinou. O apelo de Paulo às Escrituras demonstra que, para ele, as causas dos diferentes papéis do homem e da mulher estão enraizadas nas circunstâncias em que a criação e a queda aconteceram, e não em demandas provisórias das igrejas e nem em aspectos culturais da época.”


Sabemos que a salvação é pessoal (Ezequiel 18.20), e que cada um prestará contas de si diante de Deus (Romanos 14.12), mas o homem, em sua posição dada por Deus no lar, na igreja e na sociedade, deve exercer a liderança. Considerando as principais referências bíblicas sobre o tema como prova de que Deus não designou que mulheres liderassem ou exercessem autoridade sobre eles, seja ensinando-os ou governando-os, entendemos que devemos aplicar esses princípios bíblicos nesses dias conturbados em que vivemos, onde o movimento feminista de nossos dias, entre outras coisas, tenta usurpar a liderança dada por Deus ao homem e sobre o papel da mulher. Não há base bíblica para mulheres exercerem liderança sobre os homens, pois a Palavra de Deus mostra isso de maneira contundente.


Cabe aos homens fracos se tornarem compromissados, fortes e corajosos, e diferentemente dos homens fracos de Israel nos tempos em que eram governados por juízes, entre os quais a profetisa Débora, reassumirem a função dada a eles por Deus. Que Deus possa levantar homens fortes no lar, nas igrejas e em nossa sociedade, e cumprir a função de liderar dada a ele por Deus. A cobrança de Deus é maior sobre o homem, por ele ter sido designado por Deus como líder. O mundo está do jeito que está porque o homem como líder, inclusive nas igrejas, tem deixado muito a desejar. Um dia ele será cobrado por Deus.


E, a qualquer que muito for dado, muito se lhe pedirá, e ao que muito se lhe confiou, muito mais se lhe pedirá.” (Lucas 12.48b)

____________________________________________________________________

 

*1 Peter Issar – Ministra aulas e faz seminários em Bibliologia; oferece curso de Apologética Cristã; curso de Autoconfrontação Bíblica da Biblical Counseling Foundation – BCF, EUA, onde recebeu treinamento. Atua no Brasil com o Ministério “O Amor Verdadeiro”, oferecendo conteúdos extraídos das pregações do Dr. Adrian Rogers, pastor americano mundialmente conhecido. Esse ministério oferece em formas de livretos, devocionais diários e livros em português conteúdos voltados a problemas relacionados à estresse, preocupação, medo, ansiedade, depressão, problemas de relacionamentos interpessoal, conjugal e entre pais e filhos, amargura, ira, inveja, cobiça, ganância e tantos outros males que nos afetam em nossos dias. Contato: O Amor Verdadeiro.

Tel.: +55 11 2263-0402.

 

*2 Ref. Bíblicas: “A Bíblia Sagrada” - Versão Almeida Corrigida, Fiel (ACF) - Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil (SBTB). Rua Júlio de Castilhos, 108 - Belenzinho - São Paulo, SP - 03059-001 - Tels: São Paulo: 11.2693-5663. Outros locais: 0800-12-4008 - www.biblias.com.br - Email: sbtb@biblias.com.br

 

bottom of page