top of page

Recebendo Poder para Testemunhar


Pr. Carlos Alberto Moraes



É membro da IBIO - Igreja Batista Independente em Orlândia SP. É missionário e Presidente da AMI - Associação Missionária Internacional. É jornalista, diretor e editor do Jornal de Apoio desde abril de 1984. Casado com Agnes Ayres com quem tem três filhas, Luciana, Talita e Letícia.


Texto: Atos 1.8


Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da terra” (ARA).

 



INTRODUÇÃO:

 

Introdução ao livro de Atos

- O Livro de Atos foi escrito por Lucas, que também escreveu o Evangelho de Lucas.

 

- Lucas foi próximo do apóstolo Paulo, e escreveu Atos como continuação do seu Evangelho, narrando os eventos que se seguiram à ascensão de Jesus e o início da Igreja.

- Atos relata a história do início da igreja, destacando a obra missionárias de Paulo, Pedro e outros discípulos.

 

- Descreve a vinda do E.S. no Pentecostes, quando todos recebem o E.S. e o crescimento da igreja em Jerusalém e além...

 

- Em meio a milagres e conflitos enfrentados pelos primeiros cristãos

 

- Atos é importante para entendermos o desenvolvimento inicial da Igreja e a propagação do evangelho.

 

- Atos destaca a obra do E.S. na vida da Igreja e a missão dos discípulos em testemunhar sobre Jesus Cristo...

 

CONTEXTUALIZAÇÃO HISTÓRICA E CRONOLÓGICA DE ATOS 1.8.

- Atos 1.8 de estabelece A MISSÃO para os discípulos:

     - Receberão poder do E.S.

     - Para que?

     - Para testemunhar em Jerusalém, Judéia, Samaria, Confins da Terra.

 

     - O restante do livro de Atos descreve como os discípulos cumprem essa missão, começando por Jerusalém e se espalhando pelo mundo conhecido na época.

 

AT 1.8 É FUNDAMENTAL PARA ENTENDER A MISSÃO E O PROPÓSITO DA IGREJA.

 

I. O PODER PROMETIDO

 

A - PERSPECTIVA PROMESSA DE ATOS 1.8

 

- Significado Teológico:

- O "poder" prometido aqui não se refere a uma força física ou habilidade humana, mas sim o poder divino concedido pelo E.S. como capacitação para a execução da MISSÃO DA IGREJA.

 

- Esta promessa se liga às promessas anteriores de Jesus sobre o envio do E.S. (João 14.16-17, 26; 15.26-27; 16.7-15),

- E, também, ao cumprimento das promessas proféticas do A.T. sobre o derramamento do Espírito (Joel 2.28-29).

 

- O propósito é Missional, pois o poder do Espírito Santo é concedido a TODOS NA IGREJA para capacitar-nos a testemunhar de Jesus em toda parte do mundo, explicitado no texto ao mencionar:

 “Jerusalém, em toda a Judeia e Samaria, e até os confins da terra”.

 

B - RESULTADOS PRÁTICOS.

 

Capacitação para Testemunho:

- O poder do E.S. capacitou os discípulos para testemunhar corajosamente sobre Jesus, mesmo em face da perseguição e da oposição.

 

Expansão do Evangelho:

- O cumprimento desta promessa resultou na expansão rápida e abrangente do evangelho, à medida que os discípulos foram capacitados a levar a mensagem de salvação a lugares distantes.

 

Transformação Pessoal:

- O poder do E.S. não só capacitou os discípulos para o ministério externo, mas também operou transformação interna em suas vidas, capacitando-os para viverem vidas santas e serem testemunhas eficazes de Cristo.

 

- Em resumo, o "poder" do E.S. prometido aos discípulos em Atos 1.8 tem implicações profundas tanto teológicas quanto práticas, capacitando os crentes a testemunharem de Jesus e a serem agentes de transformação em sua cidade e além.

 

II. TESTEMUNHAS DE JESUS:

 

- Atos 1.8 aponta os lugares aonde os crentes deveriam ser testemunhas: “Jerusalém, Judeia, Samaria e Confins da Terra”.

 

A - JERUSALÉM: TESTEMUNHO LOCAL

 

1 - O testemunho começa em casa em nossa Jerusalém.

 

- Nossa família, nossa vizinhança, nosso bairro, nossa cidade...

- As estratégias devem ser orientadas pela liderança da igreja local.

     - Deve haver treinamento.

     - Há muitos exemplos práticos que podem ser compartilhados de acordo com as possibilidades de cada localidade.

 

- O que não se deve fazer é transplantar métodos.

     - Geralmente não dá certo.

 

B - JUDÉIA: TESTEMUNHO REGIONAL

 

- Além da localidade, pode alcançar a região, de acordo com as possibilidades de cada igreja:

 

- Congregações, Grupos familiares, etc....

 

- Também nestes casos é possível usar missionários que se dedicam integralmente a tal ministério com preparo adequado.

 

- Um exemplo bíblico de alcance regional uma igreja local, vemos em Éfeso, onde Paulo fez em três anos a evangelização mais importante da sua vida, pregando nos principais centros romanos da Ásia Menor, ajudado pelos seus discípulos.

(At 19.10)

E durou isto por espaço de dois anos; de tal maneira que todos os que habitavam na Ásia ouviram a palavra do Senhor Jesus, assim judeus como gregos”.

 

C - SAMARIA: TESTEMUNHO TRANSCULTURAL NO PAÍS.

 

- Aqui entra o trabalho com grupos de povos originários (tribos), que tem MISSÕES E MISSIONÁRIOS preparados, pois envolve questões culturais e linguísticas.

 

- Também as comunidades de imigrantes como, japoneses, alemães, latinos, e muitos outros...

 

D - CONFINS DA TERRA: TESTEMUNHO GLOBAL

- Ampliação do alcance para além das fronteiras nacionais e culturais.

 

- Aqui entra as MISSÕES organizadas com essa finalidade.

 

- A AMI tem esse papel

 

III. CAPACITADOS PELO ESPÍRITO SANTO:

 

A - O PAPEL TRANSFORMADOR DO E.S. NA VIDA DO CRENTE.

 

2 Coríntios 3.18

Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como PELO ESPÍRITO DO SENHOR”.

 

- Por todo o NT vemos o papel transformador do E.S. na vida do crente.

 

- Como discípulos de Cristo, somos chamados a sermos transformados à semelhança de Cristo...

 

       - É o Espírito Santo que opera essa transformação em nós.

 

1 - Vamos refletir um pouco sobre essa Natureza Transformadora do E.S.

 

- O Espírito Santo é o agente da transformação espiritual.

- Ele nos convence do pecado, da justiça e do juízo (Jo 16.8).

 

- Ele nos regenera: Torna-nos novas criaturas em Cristo (2Co 5,17)

 

2 - A transformação pelo Espírito é um processo contínuo.

 

- Ele nos santifica, e separa-nos para o serviço de Deus (1 Pe 1.2).

 

- Ele nos capacita a crescer em graça e conhecimento de Cristo (2 Pe 3.18).

 

B - O Papel do Espírito Santo na Renovação da Mente

 

1 - Ele ilumina nossas mentes para entender as Escrituras (1 Co 2.12-13).

2 - Ele nos capacita a discernir a vontade de Deus (Rm 12.2). 

 

3 - Ele nos ajuda a pensar de maneira santa e alinhar nossos pensamentos com os de Cristo (Fp 4.8).

 

4 - O Fruto do E.S. na Vida do crente é evidência da Sua obra em nós:

- Amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio (Gl 5.22-23)

 

- O fruto do E.S. nos capacita a testemunhar de Cristo (Mt 5.16).

 

- O fruto do Espírito nos capacita a viver em comunhão e unidade com outros crentes (Ef 4.3).

 

5 - Sem a menor dúvida, o Espírito Santo é o grande agente de transformação em nossas vidas.

 

- Ele nos conduz à santidade, nos capacita a viver em conformidade com a vontade de Deus e produz em nós o fruto que glorifica ao Pai.

 

- Que possamos abrir nossos corações e permitir que o Espírito Santo opere livremente em nós, transformando-nos à imagem de Cristo, para a glória de Deus.

 

B - Exemplos bíblicos de pessoas capacitadas pelo E.S. para testemunhar.

 

1 - Pedro:

- Em Atos, vemos Pedro capacitado pelo E.S. para testemunhar de Cristo após o dia de Pentecostes.

 

- Ele pregou um poderoso sermão em Jerusalém, resultando na conversão de cerca de 3.000 pessoas (Atos 2.14-41).

 

2 - Paulo:

- Antes de sua conversão, Paulo perseguia os seguidores de Jesus.

 

- Após seu encontro com Cristo no caminho de Damasco, Paulo foi transformado pelo E.S. para testemunhar do evangelho.

 

- Ele se tornou um dos maiores missionários do cristianismo primitivo, viajando extensamente e plantando igrejas em todo o mundo greco-romano.

 

- Os ensinos de Paulo sobre a direção do ES na vida do crente são inúmeros:

       - At 13.1-5 - Ele e Barnabé começaram sendo separados pelo E.S;

       - Gl 5.16 - Ele pede para os crentes se deixarem conduzir pelo E.S.;

       - At 16.6-10 - Ele disse que foi impedido pelo E.S;

 

- Quase tudo que sabemos sobre o papel do E.S. na vida da Igreja, aprendemos pelos ensinos de Paulo.

 

- Ele ensinou que a vida cristã frutífera se desenvolve através dos dons espirituais:

- É sua esta afirmação de 1 Co 12.1:

Acerca dos dons espirituais, não quero, irmãos, que sejais ignorantes”.

 

- E ele ensina sobre os dons em várias passagens como: 1 Co 12; Rm 12; Ef 4, entre outras.

 

3 - Estêvão:

- Estêvão foi um dos primeiros diáconos da igreja primitiva em Jerusalém, e foi, também, o primeiro mártir da história da Igreja.

 

- Foi cheio do E.S. e capacitado para falar com sabedoria e poder.

 

- Mesmo diante da oposição e do martírio, Estêvão testemunhou corajosamente de Cristo perante o Sinédrio (At 6.8-15; 7.1-60).

 

C - COMO PODEMOS BUSCAR E RECEBER O PODER DO ESPÍRITO SANTO EM NOSSAS VIDAS.

 

1 - Jesus disse que o Espírito seria o Consolador, o Espírito da Verdade, que permaneceria conosco para sempre (Jo 14.16-17) 

 

- Essa promessa se cumpriu no Dia de Pentecostes, quando o E.S. desceu sobre os crentes, capacitando-os a testemunhar e viver vidas transformadas.

 

2 - A ordem bíblica para enchermo-nos do E.S. é clara em Ef 5.18

 

3 - O Espírito Santo nos capacita de várias maneiras.

 

- Ele nos concede dons espirituais para servirmos a comunidade e edificarmos a igreja (1 Co 12.4-11). 

 

- Ele nos guia em nossas decisões e nos ajuda a entender as Escrituras (Jo 16.13).

 

- O E.S. opera em nós para produzirmos o Fruto do Espírito, conforme descrito em Gl 5.22-23. 

       - Isso nos capacita para desenvolvermos características como amor, alegria, paz, paciência e bondade.

       - Essa transformação é um sinal tangível de Sua presença em nossas vidas.

 

É crucial buscarmos uma relação íntima com o Espírito Santo, permitindo que Ele opere em nós de maneira plena, de modo que possamos viver vidas que glorificam a Deus e refletem Seu amor e graça.

 

- Precisamos da capacitação do E.S. para cumprir a missão de testemunhar em Jerusalém, Judéia, Samaria e até os confins da terra.

 

CONCLUSÃO:

DESAFIOS E OPORTUNIDADES:

 

A - Obstáculos enfrentados pelos primeiros cristãos ao compartilhar o evangelho.

- Ao mergulharmos na história da Igreja Primitiva, somos confrontados com obstáculos significativos que eles enfrentaram enquanto propagavam a mensagem transformadora de Jesus Cristo.

 

- No entanto, apesar das adversidades, eles perseveraram, e é através de seu exemplo que encontramos inspiração para superar os obstáculos em nossas próprias jornadas de fé.

 

- Vamos explorar juntos alguns desses desafios e como podemos aplicar suas lições em nossas vidas hoje.

 

1 - Resistência Cultural:

- Os primeiros cristãos enfrentaram uma resistência cultural intensa ao compartilhar o evangelho.

 

- Vivendo em uma sociedade dominada por sistemas religiosos e filosóficos contrários à mensagem de Cristo, eles foram confrontados com hostilidade e até mesmo perseguição por parte das autoridades e líderes religiosos.

 

- No entanto, eles perseveraram, mantendo-se firmes em sua fé, mesmo diante de ameaças e pressões culturais.

 

Aplicação:

- Hoje, também enfrentamos resistência cultural à nossa fé.

 

- Em um mundo cada vez mais secularizado, somos confrontados com ideologias e valores que frequentemente entram em conflito com as verdades do evangelho.

 

- No entanto, como os primeiros cristãos, nós somos chamados a permanecer firmes em nossa fé, confiantes de que a luz de Cristo brilha mais intensamente nas trevas.

 

2 - Oposição Religiosa:

- Além da resistência cultural, os primeiros cristãos enfrentaram oposição direta de líderes religiosos e sistemas de crenças estabelecidos.

 

- Eles foram acusados de blasfêmia, heresia e perturbação da ordem pública.

 

- No entanto, eles perseveraram, respondendo à oposição com amor e coragem, confiando no poder do Espírito Santo para sustentá-los.

 

Aplicação:

- Hoje, também podemos enfrentar oposição religiosa ao compartilhar nossa fé.

 

- Podemos encontrar críticas e até mesmo hostilidade por parte daqueles que seguem outras religiões ou que rejeitam a fé em Deus.

 

- No entanto, como os primeiros cristãos, somos chamados a responder à oposição com amor e graça, mantendo-nos firmes em nossa convicção de que Jesus é o único caminho para a salvação.

 

3 - Desafios Práticos:

- Além dos desafios culturais e religiosos, os primeiros cristãos enfrentaram desafios práticos ao compartilhar o evangelho, como:

       - A comunicação em diferentes idiomas e culturas,

       - A falta de recursos financeiros e a necessidade de viajar longas distâncias para alcançar novas comunidades.

 

- No entanto, eles não deixaram esses obstáculos impedirem sua missão.

 

- Eles encontraram maneiras criativas de superar esses desafios, confiando na providência de Deus e na orientação do Espírito Santo.

 

Aplicação:

- Hoje, também enfrentamos desafios práticos ao compartilhar o evangelho, como:

       - Barreiras linguísticas,

       - Barreiras sociais e financeiras

       - Limitações logísticas.

- No entanto, como os primeiros cristãos, somos chamados a confiar na providência de Deus e a buscar maneiras criativas de superar esses obstáculos.

 

- Como?

       - Aproveitando os recursos que Ele nos proporciona

       - Sendo guiados pelo Espírito Santo em nossos esforços evangelísticos.

 

REFLEXÃO:

Ao olharmos para os desafios enfrentados pelos primeiros cristãos ao compartilhar o evangelho, e para os cristãos em cada geração, somos lembrados de que a propagação da mensagem de Cristo sempre enfrentará obstáculos.

- No entanto, como vimos, esses obstáculos podem ser superados com fé, coragem e confiança na providência de Deus.

 

- Que possamos seguir o exemplo dos primeiros cristãos, perseverando na propagação do evangelho, mesmo diante das adversidades, confiantes de que, com Deus ao nosso lado, nada é impossível. 

 

- Que o Espírito Santo nos capacite e fortaleça enquanto continuamos a cumprir a grande comissão de fazer discípulos de todas as nações.

 

B - VIVENDO COMO TESTEMUNHAS.

 

1 - Práticas para viver uma vida de testemunho diário.

 

- Viver uma vida de testemunho cristão diário baseado em princípios bíblicos é uma jornada contínua de crescimento espiritual e comprometimento com Deus.

 

Vejamos algumas práticas recomendáveis:

 

1 - Oração constante:

- A oração é a comunicação direta com Deus e é essencial para manter um relacionamento íntimo com Ele.

 

- Busque momentos diários de oração, seja para agradecer, pedir orientação, confessar pecados ou interceder pelos outros.

 

2 - Estudo da Bíblia:

- A Palavra de Deus é o nosso guia para uma vida cristã autêntica.

 

- Dedique tempo regularmente para estudar as Escrituras, meditar nelas e aplicá-las à sua vida.

 

- Isso fortalecerá sua fé, ajudará você a entender a vontade de Deus e a viver de acordo com seus princípios.

 

3 - Viver em santidade:

- Como seguidores de Cristo, somos chamados a viver vidas santas e separadas do pecado.

- Isso envolve tomar decisões que honrem a Deus em todas as áreas da vida, incluindo pensamentos, palavras, ações, relacionamentos e estilo de vida.

 

4 - Serviço e amor ao próximo:

- Jesus nos ensinou a amar e servir aos outros como a nós mesmos.

 

- Procure oportunidades para servir e amar as pessoas ao seu redor, tanto na igreja quanto na comunidade.

 

- Isso pode incluir ajudar os necessitados, encorajar os desanimados, perdoar os ofensores e compartilhar o evangelho com os perdidos.

 

5 - Testemunho autêntico:

- Viva de maneira que sua vida seja um testemunho vivo do poder transformador de Cristo.

 

- Seja coerente em suas palavras e ações, seja íntegro em todas as áreas da sua vida e esteja disposto a compartilhar sua fé com outros quando surgirem oportunidades.

 

LER:

Essas práticas não apenas fortalecerão sua própria fé e relacionamento com Deus, mas também permitirão que você seja um exemplo inspirador para os outros ao seu redor, demonstrando os valores e princípios do Reino de Deus em sua vida diária.

C - ENCORAJAMENTO MÚTUO NA JORNADA DE COMPARTILHAR O EVANGELHO.

 

- Praticar o encorajamento mútuo na jornada de compartilhar o evangelho de Cristo com os perdidos é essencial para fortalecer a igreja local e manter o fervor na missão.

 

Algumas sugestões práticas para encorajamento:

 

1 - Oração em Grupo:

- Iniciar ou participar de grupos de oração dedicados à evangelização.

 

- Durante essas reuniões, compartilhe pedidos de oração específicos relacionados à partilha do evangelho com os perdidos.

 

- Ore uns pelos outros, pelas oportunidades de testemunho e pela coragem para enfrentar desafios.

 

2 - Testemunhos Inspiradores:

- Reserve tempo para compartilhar testemunhos de experiências pessoais com a evangelização.

 

- Quando os membros da igreja ouvem histórias de como Deus tem agido nas vidas das pessoas através do evangelismo, isso os encoraja a continuar perseverando, mesmo em tempos difíceis.

 

3 - Estudo Bíblico Focado:

- Organize estudos bíblicos voltados especificamente para entender e aplicar princípios relacionados à evangelização.

 

- Discuta passagens bíblicas que falem sobre compartilhar a fé, como Mt 28.19-20 e At 1.8, e explore como esses versículos podem ser vividos de maneira prática.

 

4 - Parcerias de Evangelismo:

- Encoraje a formação de parcerias de evangelismo entre membros da igreja.

 

- Duas ou mais pessoas podem se unir para orar, planejar e realizar atividades evangelísticas juntas, o que proporciona apoio e encorajamento mútuo ao longo do processo.

 

5 - Celebração de Sucessos:

- Celebre os sucessos, grandes e pequenos, na jornada de compartilhar o evangelho.

 

- Reconheça e compartilhe os testemunhos de conversões, sementes plantadas e vidas transformadas.

 

- Isso não apenas encoraja aqueles que estão envolvidos diretamente na evangelização, mas também inspira outros membros da IGREJA a se envolverem ativamente na missão.

 

OREMOS

 

 

Comments


bottom of page