top of page

O “Capitalismo Inclusivo” e o governo do anticristo

Na tribulação, que terá início após o arrebatamento da Igreja, o anticristo assumirá o controle deste mundo (2 Tessalonicenses 2.6-8). Esse controle satânico será exercido através da economia, quando ele fará com que “todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome” (Apocalipse 13.16-17)


A economia global já está consolidada e exerce poder quase totalitário sobre os governos. O panorama geopolítico já expôs os bastidores e as perversas intenções da elite capitalista global. Os passos finais que conduzirão à privatização de todas as riquezas naturais enfraquecendo, definitivamente, todos os governos, já estão em andamento. Além de controlar o fluxo financeiro, as transnacionais começam a controlar o ar, a água, a luz e as florestas. Os pesadelos distópicos imaginados pela ficção serão insignificantes diante da realidade da tribulação.


O centro do capitalismo baseado no Fórum Econômico Mundial deixa claro que pretendem fazer a reestruturação mais radical jamais sonhada na ordem social e econômica mundial. O presidente do fórum, o alemão Klaus Schwab, disse recentemente que está ocorrendo uma mudança do velho capitalismo para uma nova forma denominada “Capitalismo Inclusivo”.


O que é o “Capitalismo Inclusivo”?


Na verdade esse título não passa de cortina de fumaça que esconde, um retorno ao pré-capitalismo, uma espécie de neo-feudalismo. Em outras palavras, depois de juntar todas as reais riquezas sob o controle desse feudo transnacional, o passo final é a volta à escravidão através da socialização da miséria. O que se pretende é controlar de vez o poder político através dessa concentração das riquezas que, ao ser entregue ao anticristo, após o arrebatamento da Igreja, só restará o decreto que está em Apocalipse 13.16-17.


Na tribulação, tanto o poder político-capitalista, quanto o poder religioso-ecumênico, serão entregues ao anticristo. Qualquer um que pesquisar rapidamente, mesmo através do Google, verá que o “Capitalismo Inclusivo” tem apoio irrestrito do Vaticano, simbolizando o poder religioso. O “Capitalismo Inclusivo” é a preservação do capital sem a menor interferência do Estado. Nos planos arquitetados por este sistema, desde o início da dispensação da Igreja, que a Bíblia denomina de “mistério da iniquidade” (2 Tessalonicenses 2.7), os governos serão absorvidos pelas transnacionais. Enquanto o marxismo falhou, ao propor a estatização do controle, no “Capitalismo Inclusivo”, o próprio Estado será “privatizado”.


O presidente do Fórum Econômico Mundial, Klaus Schwab, já deu a entender que o “Capitalismo Inclusivo” será capaz de “libertar” os seres humanos da propriedade privada pessoal. A ideia é que ninguém seja proprietário de nada, como terras, moradias, transportes, utensílios domésticos, e assim por diante. No “Capitalismo Inclusivo” o cidadão será apenas usuário, nunca proprietário.


Nos EUA, desde 2021 as grandes corporações globais já estão cadastrando as terras agrícolas do país com objetivo declarado de total controle sobre a produção. Estão sendo criadas empresas que prestarão serviços ecossistêmicos com a finalidade de absorver dióxido de carbono e outros gases a fim de melhorar o oxigênio e purificar as águas. Tudo em nome de preservação da biodiversidade na fauna e na flora através de sofisticadas biotecnologias e engenharia genética.


A argumentação para controlar as propriedades, é que os capitalistas são os mais indicados e responsáveis para evitar a destruição dos ecossistemas. Assim, o melhor caminho é que atores econômicos responsáveis sob controle das bolsas de valores operem e controlem todos os fluxos.


No capitalismo global, nessa etapa final do controle, surgem essas “Empresas de Ativos Naturais” (EANs), cujas funções estão ligadas à comercialização de “bens e serviços ecossistêmicos”, fornecendo água potável e oxigênio. Outros ativos sobre os quais terão controle, são os materiais genéticos da fauna e da flora.


Se você pensa que isso é fantasia, ou teoria da conspiração, sugiro que dê uma espiada no website da “Bolsa de Valores de Nova Iorque” (NYSE), na página dedicada às EANs.


Maranata!








Kommentare


bottom of page